Lino de Castro refuta irregularidades

Ex-presidente da Mesa reafirma que não houve irregularidades e que ninguém pediu a recontagem...

Lino de Castro reafirmou esta segunda-feira o que já tinha avançado ao DN: "Não houve irregularidades."

E explicou ainda a discrepância entre o número de votantes anunciados ao final do dia e os apurados na contagem final dos votos. Dizem os responsáveis pelo acto que aos números divulgados com base no sistema informático há que somar os de sócios que, numa fase inicial, não foram validados pelo sistema, mas puderam votar depois de regularizarem as suas situações.

E a contagem: "Fomos contando votos em ambiente de grande serenidade, brincadeira e solidariedade. Em nenhum momento nenhum dos delegados me chamou à atenção, ou a alguém da mesa, para alguma irregularidade. Foi tudo muito claro", revelou.

No entanto Rui Morgado, delegado pela lista de Bruno de Carvalho e eleito para a mesa da assembleia geral liderado por Eduardo Barroso, ter assegurado que o abordou quanto a uma possível recontagem dos votos.

O clima de tensão vivido na noite eleitoral foi repetido esta segunda-feira em Alvalade, com os seguranças a impedir os jornalistas de fotografar a sala onde estão guardados os votos e a PSP a pedir "calma aos jornalistas".

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.