Liedson pede indemnização à seguradora Tranquilidade

O futebolista do FC Porto, Liedson, reclama uma elevada compensação à Tranquilidade, próxima de um milhão de euros, devido à incapacidade de 23% com que alega ter ficado após ser operado ao joelho esquerdo em 2009, quando jogava no Sporting.

O processo n.º 4367/12.0TTLSB, que opõe Liedson da Silva Muniz à seguradora do grupo Espírito Santo, corre no 4.º Juízo, 1.ª Secção, do Tribunal do Trabalho de Lisboa, sendo classificado como um "incidente de revisão da incapacidade ou da compensação".

Segundo revelou à Lusa uma fonte próxima do processo, que pediu para não ser identificada, Liedson considera ter ficado com uma incapacidade no joelho esquerdo de 23%, após ter sido submetido a uma intervenção cirúrgica ao menisco em dezembro de 2009.

Caso o Tribunal do Trabalho lhe dê razão, a Tranquilidade poderá ter que pagar ao 'levezinho' uma verba na ordem de um milhão de euros, de acordo com a mesma fonte.

A agência Lusa apresentou a 22 de fevereiro, nos serviços competentes do tribunal, um requerimento a solicitar a consulta do processo, porém, apesar de ainda não haver uma decisão final da juíza responsável pelo caso, os advogados de ambas as partes opuseram-se a essa pretensão, devido às questões relacionadas com os dados clínicos em causa e o sigilo médico.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Tranquilidade disse que a companhia de seguros "não comenta casos concretos relacionados com segurados seus, informando apenas que esses casos estão no âmbito dos tribunais de trabalho, para apreciação das pretensões intentadas pelo jogador, conforme está previsto na lei para estas situações".

Por seu turno, questionada pela Lusa, fonte oficial do FC Porto escusou-se a comentar o assunto, uma vez que o clube não está envolvido diretamente no processo.

Apesar de vários esforços no sentido de entrar em contacto com Marcelo Robalinho, o agente FIFA do futebolista de 35 anos, que está a jogar no FC Porto por empréstimo do Flamengo, tal não foi possível até ao momento.

De acordo com a fonte próxima do processo, os especialistas clínicos da seguradora portuguesa não concordam com o grau de incapacidade reclamado pelo jogador, até porque Liedson prosseguiu a sua carreira desportiva ao mais alto nível no Sporting, tendo mais tarde sido transferido para o clube brasileiro Corinthians por 2,1 milhões de euros, em janeiro de 2011.

Em agosto de 2012, trocou o emblema paulista pelo Flamengo, clube que já tinha representado antes de ter assinado pelo Sporting em 2003, e que chegou a acordo com o FC Porto para a sua cedência por empréstimo com duração de seis meses.

Ora, conforme explicou à Lusa a referida fonte, a seguradora considera que o facto de Liedson ter passado com êxito os testes médicos nos vários clubes de topo que já representou desde que deixou o Sporting não é compatível com um grau de incapacidade no joelho como aquele que é reclamado pelo internacional português.

Certo é que Liedson voltou a ser operado ao joelho esquerdo no verão de 2011, quando já atuava no Corinthians, tendo sido submetido a uma artroscopia no hospital São Luiz, em São Paulo, regressando após algum tempo à competição.

Exclusivos