Investidores angolanos são acionistas da Sporting SAD

A Holdimo, empresa de um grupo de investidores angolanos, será uma nova acionista do Sporting. BCP e BES criam hipoteca sobre Alvalade e o capital social poderá ascender a 77 milhões de euros.

A Holdimo, uma empresa de um grupo de investidores angolanos, será a nova acionista do Sporting e ficará com uma participação de 26% na SAD leonina. Álvaro Sobrinho, dono da Newshold (acionista da Cofina), é um dos investidores ligados à Holdimo, cujo o crédito que a empresa detinha sobre a SAD leonina será convertido em ações - 20 milhões, cada uma no valor de um euro, segundo o comunicado do leões dirigidos à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O capital social do Sporting subirá, assim, para 59 milhões de euros, sendo que no plano de reestruturação comunicado à CMVM o Conselho de Administração solicita autorização para concretizar um ou mais aumentos de capital, com a "emissão de 18 milhões de novas ações ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de um euro cada". O capital social poderá, assim, ascender a 77 milhões de euros.

O plano de reestruturação revela, ainda, que foi constituída uma "hipoteca sobre o direito de superfície do Estádio José Alvalade e do Edifício Multidesportivo" pelos bancos financiadores do Sporting, BES e BCP, como garantia do pagamento da dívida aos credores. É, ainda, confirmada a fusão por incorporação da Sporting Património e Marketing na SAD, projeto que já tinha sido aprovado ainda durante o mandato de Godinho Lopes em Alvalade.

O Sporting informou, ainda, que será feita uma emissão de Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis em ações da Sociedade (VMOC) no montante de 80 milhões de euros, com prazo de 12 anos em que terão de ser convertíveis em ações ordinárias da Sporting SAD, com uma taxa de juro anual bruta condicionada de 4% e, também, ao preço de um euro cada.

De modo a "liquidar dívida do Sporting perante a Sporting SAD, bem como a liquidar dívida do Sporting e Sporting SAD perante os bancos", o mesmo documento informa que será apresentada à Assembleia Geral, no dia 30 de junho, uma proposta de contração de empréstimo bancário até ao montante global de 68 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG