Zeegelaar chega a Alvalade em janeiro por 400 mil euros

Clube de Alvalade tem tudo acertado com o Rio Ave e com o holandês formado no Ajax. Fica satisfeito um desejo de Jorge Jesus, que vê no futebolista de 25 anos uma boa solução para várias posições

Marvin Romeo Kwasie Zeegelaar, futebolista do Rio Ave, em final de contrato com o clube vila-condense, vai ser jogador do Sporting para as próximas quatro temporadas, apurou o DN junto de fonte conhecedora do processo.

O jogador holandês, formado no Ajax, era um dos jogadores que Jorge Jesus desejava para reforçar o Sporting em janeiro e a SAD, após aturadas negociações com o Rio Ave, conseguiu levar por diante o negócio. O clube de Vila do Conde tinha pouca margem negocial, pois Zeegelaar terminava contrato em junho próximo, logo o mês de janeiro afigurava-se como a última oportunidade de poder ter algum retorno com o esquerdino.

Leia mais pormenores na edição impressa e no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.