Sporting "secundário" vence em Guimarães

Golos de Heldon e Dramé deram aos leões a vitória, neste jogo da Taça da Liga. Segundas linhas e jogadores da equipa B mostraram serviço a Marco Silva.

O Sporting venceu hoje o Vitória, em Guimarães, por 2-0 e assumiu a liderança do grupo C da Taça da Liga de futebol, num jogo em que apresentou segundas linhas e jogadores da equipa B.

Os golos dos "leões" foram marcados por Heldon, aos cinco minutos, e por Dramé, na última jogada do desafio, aos 90+4.

Alguns "reforços" de Bruno de Carvalho mostraram serviço, tendo sobressaído um: o defesa central Tobias Figueiredo, de apenas 20 anos e jogador habitual na equipa B, que fez uma exibição quase imaculada.

O Vitória que bateu o Sporting há quase dois meses por um expressivo 3-0, partida que terá marcado o início do `azedar" de relações entre o presidente e o treinador `leoninos" depois das críticas públicas de Bruno de Carvalho, esteve hoje desaparecido, sendo que não vence há um mês e não marca um golo há quatro jogos.

Com uma equipa formada por jogadores menos utilizados da equipa principal e alguns da equipa B, e depois de uma semana turbulenta, em que a saída de Marco Silva chegou a ser ventilada, o Sporting mostrou caráter e empenho e, sem fazer uma grande exibição, fez por merecer a vitória.

A primeira parte foi jogada a um ritmo baixo por ambas as equipas, tendo o primeiro lance de perigo pertencido ao Vitória, com Hernâni a rematar com muito perigo, após falha de Sarr.

Mas, no minuto seguinte, o Sporting inaugurou o marcador por Heldon, que aproveitou da melhor maneira um bom passe de Esgaio. O avançado cabo-verdiano festejou de forma efusiva, correndo para o banco `leonino" para abraçar o roupeiro Paulinho.

O Vitória teve quase de seguida dois bons remates, por Gui e Bernard, mas o guarda-redes Marcelo Boeck esteve bem na baliza contrária.

Rui Vitória tirou o apagado Bernard ao intervalo, entrando Alex para o seu lugar, e o Vitória melhorou, empurrando o Sporting para o seu último reduto.

Aos 56 minutos, Ricardo Gomes e Josué falharam por pouco o desvio e, dois minutos depois, só um corte providencial de Esgaio impediu males maiores.

Sete minutos depois, numa fase já mais equilibrada do jogo, o Sporting esteve perto do segundo, com um livre direto de Tanaka para uma boa defesa de Douglas, tendo respondido o Vitória apenas aos 80, mas o cabeceamento de André André, após canto de Alex da direita, saiu a centímetros do poste da baliza de Marcelo Boeck.

Na última jogada do desafio, Dramé aproveitou o muito espaço concedido e rematou com êxito, após rápido contra-ataque.

Jogo disputado no Estádio D. Afonso Henriques.

Vitória de Guimarães - Sporting, 0-2.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Heldon, 05 minutos.

0-2, Dramé, 90+4.

Equipas:

- Vitória de Guimarães: Douglas, Nii Plange, Josué (Nassim Zitouni, 83), João Afonso, Traoré, Cafú, André André, Bernard (Alex, 46), Hernâni, Gui (Tomané, 71) e Ricardo.

(Suplentes: Assis, Bruno Gaspar, Moreno, Nassim Zitouni, Crivellaro, Alex e Tomané).

Treinador: Rui Vitória.

- Sporting: Marcelo Boeck, Ricardo Esgaio, Tobias Figueiredo, Naby Sarr, André Geraldes, Oriol Rosell, Slavchev (Wallyson, 60), Ryan Gauld, Heldon (Ousmane Dramé, 87), Daniel Podence (Hadi Sacko, 64) e Tanaka.

(Suplentes: Luís Ribeiro, Domingos Duarte, Mica, Wallyson, Iuri Medeiros, Hadi Sacko e Ousmane Dramé).

Treinador: Marco Silva.

Árbitro: Manuel Oliveira (Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Naby Sarr (18), João Afonso (37), Bernard (45), Ricardo Esgaio (58), Daniel Podence (64) e Heldon (70).

Assistência: cerca de 5.000 espetadores.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.