"Sporting quis negociar Bruma antes da decisão da CAP"

Em entrevista ao DN, Catió Baldé garante que os leões tentaram vender Bruma "horas antes" de conhecerem a decisão da CAP. Empresário revela as quatro opções para o futuro do jogador.

Catió Baldé, empresário e tutor de Bruma, garantiu ao DN que o Sporting tentou vender o passe do jogador horas antes de conhecer a decisão da Comissão Arbitral Paritária (CAP), que acabou por ser favorável à equipa de Alvalade.

"Nem nós perdemos nem o Sporting ganhou nada. As pessoas sabem que se optarmos por uma rescisão unilateral isso pode ser prejudicial ao Sporting (...) Aliás, o Sporting quis negociar o jogador horas antes da decisão da CAP, abordou-nos para tentar um acordo", disse Catió Baldé.

O empresário não revelou qual era o clube que estava a negociar com o Sporting e vincou que Bruma não irá "pedir favores" a ninguém. "Não nos vamos ajoelhar ou pedir favores, se nós cedermos a outra parte também terá que ceder", vincou, antes de enumerar as quatro possibilidades para o futuro de Bruma.

"Ou regressa a Alvalade, é reintegrado e voltamos a negociar; ou o Sporting negoceia o jogador até ao fecho do mercado; ou avançamos com a rescisão do contrato; ou então Bruma cumpre o último ano de contrato", disse Baldé, rejeitando a possibilidade de o extremo ficar um ano parado e admitindo que "é possível" renovar o contrato de Bruma, que "não tem receio nem vergonha" de voltar ao clube leonino.

Saiba mais na edição deste domingo no DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".