Sporting faz acordo com a NOS por 515 milhões

Leões vendem direitos televisivos por dez anos à operadora. Camisolas são da NOS por um período de 12 anos e meio

515 milhões de euros. É este o valor que o Sporting negociou e acordo com a operadora NOS. Apesar de o contrato iniciar-se a 1 de julho de 2018 nos 515 milhões de euros está refletida uma revisão dos dos direitos televisivos e de publicidade estática para a época em curso e ainda para as duas temporadas seguintes, as que antecedem o início do contrato propriamente dito com a NOS.

A camisola da equipa principal de futebol também vai ter a NOS como patrocinadora a começar já no clássico do próximo sábado com o FC Porto. E será assim até junho de 2029, ou seja nos próximos 12 anos e meio.

A NOS garante ainda a transmissão e distribuição da Sporting TV por 12 épocas a iniciar-se a 1 de julho de 2017, para além da exploração da publicidade estática e virtual do Estádio José Alvalade, de 1 de julho de 2018 a 30 de junho de 2028.

Eis o comunicado enviado pelo Sporting à CMVM

A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, Futebol SAD informa, nos termos do art. 248.º, n.º 1 do Código de Valores Mobiliários, que chegou hoje aos seguintes acordos:

1) com NOS LUSOMUNDO AUDIOVISUAIS, S.A. um contrato para a cessão dos seguintes direitos:

(i) direito de transmissão televisiva e multimédia dos jogos em casa da Equipa A de Futebol Sénior da Sporting SAD e direito de exploração da publicidade estática e virtual do estádio José Alvalade

pelo período de 10 épocas desportivas com início em 1 de Julho de 2018;

(ii) direito de transmissão e distribuição do Canal Sporting TV, pelo período de 12 Épocas desportivas, cominício em 1 de Julho de 2017;

(iii) direito a ser o seu Principal Patrocinador, pelo período de 12 épocas e meia, com início a 1 de Janeiro de 2016

2) com a PPTV- Publicidade de Portugal e televisão, S.A. um aditamento ao contrato atual pelo qual foram revistos os valores a pagar pelos direitos de transmissão televisiva e multimédia dos jogos em casa da Equipa A deFutebol Sénior da Sporting SAD e direito de exploração da publicidade estática e virtual do estádio José Alvalade para as épocas 2015-2016, 2016-2017 e 2017-2018.

As contrapartidas financeiras globais resultantes do valor dos contratos, incluindo as épocas 2015-2016, 2016-2017 e 2017-2018, o referido no ponto 1 e o aditamento referido no ponto 2 ascendem ao montante de euro 515.000.000.

O negócio entre o emblema 'leonino' e a NOS surge depois de o Benfica e o FC Porto terem anunciado acordos semelhantes.

Os 'encarnados' negociaram os direitos com a mesma operadora, por 400 milhões de euros durante 10 anos, sem incluir o patrocínio das camisolas, a partir de 2016/2017.

Os 'dragões' cederam os seus direitos à MEO também por 10 anos, por 457,5 milhões, mas terão a publicidade desta nas camisolas já em janeiro de 2016.

Tal como o Sporting, o acordo entre MEO e FC Porto para os direitos televisivos é válido a partir de 2018/2019.

Sporting e FC Porto deverão exibir os novos patrocinadores nas camisolas já no próximo sábado, no 'clássico' da 15.ª jornada da I Liga, que opõe as duas equipas no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Ao mesmo tempo, o Sporting anunciou a renegociação dos acordos de direitos televisivos e de publicidade ainda existentes com a PPTV - Publicidade de Portugal e Televisão para as épocas 2015/16, 2016/17 e 2017/2018, indicando que o valor total dos acordos com as duas entidades é de 515 milhões de euros.

Esta renegociação com a empresa de Joaquim Oliveira diz respeito aos últimos três anos de um acordo assinado em 2010, que previa a exploração dos direitos televisivos e publicidade dos jogos do Sporting na condição de visitado durante cinco épocas (2013/14 até 2017/18), a troco de 108 milhões de euros.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.