Sousa Cintra acredita no regresso de Gelson e de Bruno Fernandes

Comissão de gestão tem procurado aproximar-se dos empresários dos jogadores que rescindiram alegando justa causa. Inácio é a hipótese mais forte para treinar a equipa até às eleições, mas antes há que dispensar Mihajlovic

Gelson Martins e Bruno Fernandes podem ser duas das boas notícias que José Sousa Cintra, elemento da comissão de gestão designado para a SAD, quer dar aos sportinguistas, conforme prometido nesta terça-feira junto ao Estádio José Alvalade.

A comissão de gestão tem fundadas esperanças em conseguir o regresso dos dois futebolistas, que, assim, voltariam ao plantel leonino e deixariam de lado as rescisões invocando justa causa.

O regresso destes atletas só será possível porque Bruno de Carvalho saiu e não é certo que possa recandidatar-se às próximas eleições face ao processo disciplinar interposto pela comissão de fiscalização. E também porque a comissão de gestão tem tentado dialogar e aproximar-se dos representantes dos jogadores ou de quem está a tratar da vida dos futebolistas - no caso de Gelson é um primo, pois o seu contrato de agenciamento com o empresário Ulisses Santos termina no próximo sábado, dia 30 de junho,e não é certo que seja prolongado.

O DN sabe que, inclusivamente, se Gelson e Bruno Fernandes voltarem não é seguro que seja apenas com o objetivo de ressarcirem o Sporting pelas saídas. O que está em cima da mesa não afasta a hipótese de os dois jogadores, atualmente no Mundial em representação da seleção nacional, continuarem ao serviço do clube verde e branco na próxima temporada. Ou seja, ambas as opções estão a ser avaliadas, sendo certo que, a concretizar-se o regresso, terão de ser feitos novos contratos entre as partes.

Além de Gelson Martins e de Bruno Fernandes, a comissão de gestão tem esperança em conseguir convencer mais atletas a voltar a Alvalade, mas há um que está determinado a deixar o clube, não estando disponível para dialogar. Referimo-nos a Bas Dost, nada disposto a avaliar qualquer regresso.

Por resolver está a questão do contrato de Sinisa Mihajlovic. Conforme o DN adiantou na edição impressa desta terça-feira, o servo-croata vai ser dispensado, seja invocando o período experimental seja alegando culpa in contrahendo do técnico.

Por isso entende-se que Sinisa Mihajlovic agiu de má-fé, pois quando assinou sabia que Bruno de Carvalho estava suspenso e que cinco dias depois da assinatura o ex-presidente leonino iria enfrentar uma assembleia geral de destituição, que acabaria, efetivamente, por afastar Bruno de Carvalho do cargo. Inácio é a hipótese mais forte para suceder a Jorge Jesus pelo menos até 8 de setembro, data das eleições.

Entretanto, a comissão de gestão decidiu ontem adiar para "data oportuna" a Gala Honoris Sporting, que costuma realizar-se na data do aniversário do clube leonino - 1 de julho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.