Shikabala sem ordenado, sem carro e despejado

Mahmoud Abdel Razek Fadlallah, conhecido por Shikabala no futebol, está em parte incerta - algures no Egito - e acumula problemas. Sporting vai esperando que ele dê sinais de vida

Em Portugal, as dores de cabeça com o camisola 7 leonino começaram antes da deserção (foi à seleção no início de setembro e não voltou) e causam embaraço ao Sporting. O DN sabe que o egípcio já teve o carro arrestado, por falta de pagamento das prestações...

No Egito, o cenário não é muito diferente. Anda muita gente à procura do jogador, incluindo colegas da seleção e amigos que já foram várias vezes a casa dele no Cairo - que está à venda - para saber dele. "Ninguém sabe onde está o Shikabala. É muito complicado para mim dizer isso. Ele é amigo do meu filho, mas não o vemos há duas semanas. Não está em casa, não atende o telemóvel... já lhe liguei dezenas de vezes, pergunto ao meu filho e ele diz-me o mesmo, que não sabe dele", disse ao DN Ismailly Yousseff, do Zamalek SC.

Leia mais no e-paper ou na edição impressa do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.