Postiga e Caicedo falham jogo com Fiorentina por lesão

O Sporting defronta nesta quarta-feira a Fiorentina, na segunda mão dos 'play-offs' da Liga dos Campeões, sem dois dos seus avançados - Hélder Postiga e Felipe Caicedo - devido a lesões que os afastarão dos relvados durante várias semanas.

Em comunicado , José Gomes Pereira, da direcção clínica, adiantou que Caicedo ficará sem jogar por um período não inferior a três semanas, devido a um "acidente traumático no joelho direito do qual resultou uma entorse", que por sua vez "provocou um estiramento do LLI (ligamento lateral interno)".

Gomes Pereira informa que a lesão de Caicedo não tem gravidade significativa. O Caso de Hélder Postiga também não é "clinicamente preocupante", mas o avançado ficará fora dos relvados por "um período não inferior a duas semanas a contar da presente data", devido a "um estiramento na face posterior da coxa direita que ditou a sua substituição" no jogo de sábado (Sporting 1-2 Sporting) e do qual resultou "uma lesão muscular".

O departamento clínico do Sporting referiu hoje que Hélder Postiga vai estar afastado da competição por um período "não inferior a duas semanas" e que Felipe Caicedo estará afastado por "um período não inferior a três semanas".

Hélder Postiga sofreu um estiramento na face posterior da coxa direita durante a primeira parte do jogo frente ao Sporting de Braga, que obrigou mesmo à sua substituição.

Postiga e Caicedo jutam-se a Izmailov no lote de indisponíveis patra o jogo em que o Sporting terá de ganhar ou empatar pelo menos a três golos para evitar ser eliminado. A partida realiza-se no Estádio Artemio Franchi, ás 19:45 (hora de Lisboa), com a arbitragem do inglês Howard Webb.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.