Leões revoltados com controlo antidoping

Plantel controlado esta noite, na véspera do jogo com o V. Setúbal para a Taça de Portugal

O Sporting insurgiu-se hoje contra a ação da Autoridade AntiDopagem de Portugal (ADOP), que controlou esta noite o plantel leonino, em véspera de jogo, o que motivou críticas do médico do clube, Frederico Varandas, em comunicado publicado no Facebook:

"Hoje, às 22h30, o controle antidoping abandonou as instalações da Academia do Sporting Clube de Portugal. Em 10 anos como médico de uma equipa profissional da I Divisão nunca assisti a tal procedimento: um controle antidoping a todo o plantel na noite de véspera de uma competição.

O Sporting Clube de Portugal, só nos últimos sete dias, foi controlado quatro vezes. Dia 7 (UEFA), 8, 11 e 13 (ADOP) de Dezembro. Nesses quatro controles foram submetidos a análises de sangue e urina:

Por duas vezes: Adrien, Gelson, Coates, João Pereira, Zeeglaar, Schellotto, Douglas, André, Paulo Oliveira e Meli;

- Por uma vez: Rui Patrício, Beto, Jug, Esgaio, Semedo, Jefferson, Petrovic, William, Bruno César, Alan Ruiz, Bryan Ruiz, Bruno Paulista, Elias, Matheus e Bas Dost.

Quem não deve não teme. Como tal, o Sporting Clube de Portugal apoia todas as medidas que visem a verdade desportiva e o erradicar de práticas ilícitas que põem em causa a saúde dos atletas. Somos totalmente a favor que exista um controlo rigoroso e permanente dos atletas profissionais de futebol. Contudo, é lamentável a falta de senso clínico e de respeito por um grupo de trabalho ao fazer um controle antidoping na noite que antecede uma competição. Tal procedimento interferiu não só com o treino da tarde, como com o jantar mas sobretudo com a recuperação e descanso dos atletas numa semana em que fizeram três jogos e mais de oito horas de viagem de avião. Pergunto se este quarto controlo (em sete dias) não poderia ter sido feito depois do jogo ou no dia seguinte.

A escolha deste timming para efectuar um controle antidoping é manifestamente infeliz, com a agravante de mais nenhum outro clube com competição agendada para amanhã ter sido controlado durante a noite.

Frederico Varandas

(Director Clínico S.C.P.)"

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.