Leões revoltados com controlo antidoping

Plantel controlado esta noite, na véspera do jogo com o V. Setúbal para a Taça de Portugal

O Sporting insurgiu-se hoje contra a ação da Autoridade AntiDopagem de Portugal (ADOP), que controlou esta noite o plantel leonino, em véspera de jogo, o que motivou críticas do médico do clube, Frederico Varandas, em comunicado publicado no Facebook:

"Hoje, às 22h30, o controle antidoping abandonou as instalações da Academia do Sporting Clube de Portugal. Em 10 anos como médico de uma equipa profissional da I Divisão nunca assisti a tal procedimento: um controle antidoping a todo o plantel na noite de véspera de uma competição.

O Sporting Clube de Portugal, só nos últimos sete dias, foi controlado quatro vezes. Dia 7 (UEFA), 8, 11 e 13 (ADOP) de Dezembro. Nesses quatro controles foram submetidos a análises de sangue e urina:

Por duas vezes: Adrien, Gelson, Coates, João Pereira, Zeeglaar, Schellotto, Douglas, André, Paulo Oliveira e Meli;

- Por uma vez: Rui Patrício, Beto, Jug, Esgaio, Semedo, Jefferson, Petrovic, William, Bruno César, Alan Ruiz, Bryan Ruiz, Bruno Paulista, Elias, Matheus e Bas Dost.

Quem não deve não teme. Como tal, o Sporting Clube de Portugal apoia todas as medidas que visem a verdade desportiva e o erradicar de práticas ilícitas que põem em causa a saúde dos atletas. Somos totalmente a favor que exista um controlo rigoroso e permanente dos atletas profissionais de futebol. Contudo, é lamentável a falta de senso clínico e de respeito por um grupo de trabalho ao fazer um controle antidoping na noite que antecede uma competição. Tal procedimento interferiu não só com o treino da tarde, como com o jantar mas sobretudo com a recuperação e descanso dos atletas numa semana em que fizeram três jogos e mais de oito horas de viagem de avião. Pergunto se este quarto controlo (em sete dias) não poderia ter sido feito depois do jogo ou no dia seguinte.

A escolha deste timming para efectuar um controle antidoping é manifestamente infeliz, com a agravante de mais nenhum outro clube com competição agendada para amanhã ter sido controlado durante a noite.

Frederico Varandas

(Director Clínico S.C.P.)"

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.