José Maria Ricciardi retira apoio a Bruno de Carvalho

Banqueiro anunciou que vai demitir-se do Conselho Leonino e diz que o clube precisa de voltar à normalidade institucional

Para José Maria Ricciardi, chegou mesmo o fim de linha para Bruno de Carvalho no Sporting. O banqueiro, e conhecido adepto leonino, afirmou ao jornal Record que retira o apoio ao atual presidente e que vai demitir-se do Conselho Leonino, para o qual foi eleito nas listas de Bruno de Carvalho.

"Regressado dos Estados Unidos e perante os acontecimentos mais recentes e a evolução entretanto verificada no Sporting, deixam de estar reunidas as condições para me manter nos órgãos sociais", referiu José Maria Ricciardi, assumindo que é por isso "hora de retirar o apoio ao presidente do Sporting, dr. Bruno de Carvalho".

O banqueiro, que tem sido ao longo dos últimos anos um apoio importante na relação do clube com a Banca, diz que o Sporting "precisa de regressar com a maior urgência a uma normalidade institucional".

Ricciardi não entende como é que foi possível o presidente abrir um conflito institucional com os jogadores, "o ativo mais valioso que o clube tem, a seguir aos sócios", e considera que esse foi um ponto de não retorno.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.