"O Sporting tem todas as condições para chegar à final da Liga Europa"

Treinador do Sporting fez a antevisão da partida desta quinta-feira frente ao Astana (16.00), no Cazaquistão, em partida da 1.ª mão dos 16 avos de final da Liga Europa

"Quando estás na Liga Europa, não podes ter muitos argumentos para te desculpares com seja o que for. O sucesso, às vezes, também se paga caro. Já ganhámos um troféu em Portugal, mas queremos chegar longe na Liga Europa. O Astana é uma equipa forte em casa, e vamos jogar num sintético. Vamos ter mais dificuldades do que o adversário, que tem direito a sonhar e que pensa em eliminar o Sporting", começou por dizer Jorge Jesus, em conferência de imprensa, quando questionado sobre a sobrecarga competitiva.

Acerca do posicionamento desta competição europeia entre as prioridades leoninas, o treinador sportinguista diz que o grande objetivo do clube é o campeonato, mas pisca o olho ao prestígio da prova internacional. "Toda a gente sabe que em Portugal, os três grandes definem o campeonato como prioridade. O facto de estarmos inseridos na Liga Europa e sabermos que faltam poucos jogos para chegar a uma final, não vamos enjeitar essa possibilidade. Queremos chegar o mais longe possível. Fizemos tudo para estarmos aqui em condições. Quero dar os parabéns à estrutura do Sporting por todo o trabalho logístico e de reconhecimento, para a equipa se apresentar nas melhores condições em termos de estabilidade emocional e física. Se tivéssemos estádio fechado para treinar, tínhamos vindo um dia mais cedo. Ganhar Liga Europa é um sonho que se pode tornar realidade. O Sporting tem todas as condições para chegar à final. Vamos jogo a jogo, tentar levar a eliminatória para Lisboa já em vantagem", ascrentando, depois, que "chegar à final de uma Liga Europa dá mais prestigio a um treinador do que três ou quatro campeonatos em Portugal".

Jorge Jesus comentou ainda a convocatória do jovem Rafael Leão e a exclusão de Mathieu. "Demos-lhe a possibilidade, frente ao Feirense., de se estrear na I Liga Tem feito trabalho específico físico e técnico, para desenvolver vários fatores que são importantes para ele, porque ele tem talento. Mas ainda tem muito para aprender. Vai ser preparado passo a passo, porque sabemos o valor dele e o valor dos colegas que jogam naquela posição", considerou, sobre o avançado de 18 anos. "Não quisemos arriscar, porque sintético não é a mesma coisa que relva. Se eu mandasse no futebol, sintéticos zero. Mas há países em que eu compreendo, como o caso do Cazaquistão, que é muito frio. Podem dizer que os sintéticos são de última geração que é tudo treta, é zero comparado com a relva. Tentámos protegê-lo", rematou, acerca do experiente central.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub