Já são três providências cautelares contra elenco de Bruno de Carvalho

Mesa da Assembleia Geral intentou providência para realização da assembleia de destituição. Nesta quarta-feira entram mais duas, uma para suspensão de funções do conselho diretivo, outra para anular decisões tomadas

Aperta-se o cerco ao conselho diretivo liderado por Bruno de Carvalho. Como o DN avançou, a Mesa da Assembleia Geral (MAG) tinha intentado uma providência cautelar para viabilizar "a realização da assembleia geral extraordinária (AGE)" do dia 23 de junho, cujo segundo ponto da ordem de trabalhos passa pela votação da destituição do conselho diretivo, como confirmou nesta terça-feira Jaime Marta Soares, numa conferência de imprensa conjunta da MAG e da comissão de fiscalização que tomou posse no último sábado, em substituição do conselho fiscal e disciplinar (CFD), mas que não é reconhecida pelo conselho diretivo (CD) mesmo assim.

Porém, nesta quarta-feira vão dar entrada mais duas providências cautelares: uma logo pela manhã a pedir a suspensão de funções do CD e outra durante o dia para anular as nomeações feitas pelo CD, em especial a nomeação de uma comissão transitória da MAG e de uma comissão de fiscalização, além da marcação de duas assembleias gerais.

Ambas as providências são de sócios do Sporting que têm sido auxiliados por juristas, também eles sócios do clube de Alvalade. A MAG na conferência de imprensa quis demarcar-se de ações que não são da sua esfera, contudo, o DN está em condições de adiantar que os autores das duas providências cautelares, que irão entrar esta quarta-feira, estão em contacto com a MAG e a estratégia é conjunta para que tenha o máximo efeito e possa surgir uma decisão dos tribunais que afaste Bruno de Carvalho e a sua equipa no mais curto espaço de tempo.

Uma coisa é certa, a providência cautelar que pede a suspensão de funções do CD foi feita com o rótulo de máxima urgência e nas próximas horas deve ser conhecida a decisão da primeira providência a pedir a viabilização da AGE de dia 23.

O tempo não para, Bruno de Carvalho, já se sabe, não se quer demitir, mas também é sabido que com a permanência da atual equipa diretiva é grande a hipótese de mais jogadores da equipa de futebol profissional se juntarem a Rui Patrício e Daniel Podence nas rescisões com justa causa.

Marta Soares surpreendente

Jaime Marta Soares, presidente da MAG, explicou por que razão as duas AG marcadas pela comissão transitória da MAG, nomeada pelo conselho diretivo, são ilegais.

"As práticas assumidas por presidente e CD são ilegítimas e ilegais. Nenhuma das AG marcadas tem legitimidade de funcionar. Se forem por diante os resultados serão eliminados. Mesmo que lá vão, que haja urnas, não tem nenhum efeito e viabilidade legal. São ilegais. Creio que os sócios não irão participar nesta fraude estatutária. A única AG legitimamente convocada, e pelo único órgão com poderes para tal, a MAG, está legalmente agendada para o próximo dia 23, na Altice Arena, e desde já se convidam todos os sócios para que nela participem e se possam afirmar em liberdade total e plena para o futuro do Sporting", disse o dirigente, para depois explicar as dificuldades com que se deparou para marcar a AGE de destituição: "Enviámos cartas, e-mails e mensagens para validar as assinaturas, nada foi possível. Quando tínhamos feito isso, a indicação que nos deram era que teria de tratar de tudo com o presidente do CD. Nunca foi assim, por exemplo nas últimas eleições, com 150 operacionais. Até a correspondência para o presidente da MAG, como cartas de renúncia, foram sonegadas."

Jaime Marta Soares foi muito claro ao revelar que a MAG "não tem dinheiro, não tem orçamento", por isso precisa, para que a AGE se realize, da colaboração financeira, forçada ou não, do CD.

A dada altura Jaime Marta Soares relembrou que deu "todas as hipóteses a Bruno de Carvalho" e que lhe deu a escolher "entre 19 de agosto, 26 de agosto e 2 de setembro para realizar eleições" com a possibilidade de se "manter em funções". Ou seja, com a garantia de que não ia nomear uma comissão de gestão.

Mas a surpresa ficou para a conclusão da ideia: "E se aceitarem agora uma destas datas resolvemos a situação, vou já lá e resolvemos o assunto."

Ler mais

Exclusivos