Huevo Acuña, o craque que quase desistiu do futebol

Com 17 anos ainda não tinha convencido nenhum clube a apostar nas suas qualidades, mas Torsiglieri, ex-leão, congratula-se por este ter apostado no desporto-rei e elogia-o

Marcos Acuña já treina na Suíça com o Sporting, com quem deve assinar um contrato de quatro temporadas, aos 25 anos. Com 17, no entanto, esteve muito perto de desistir da carreira de futebolista. Não o fez e Marco Torsiglieri, ex-jogador dos leões, agradece à mãe do agora (quase) médio sportinguista por o ter convencido a apostar no futebol: "É um craque."

De facto, com 17 anos, Acuña já tinha passado por vários clubes e em nenhum deles conseguia convencer. Era dispensado após alguns treinos, alegadamente pela pouca altura que tinha (agora mede 1,72 metros), e com 17 anos, num desses dias, após chegar a casa, desabafou com a mãe que queria desistir da carreira com que sempre sonhara. A progenitora, contudo, convenceu-o a continuar.
"Já tinha ouvido essa história. Aqui na Argentina é muito complicado que os clubes apostem em jovens e ao Marcos aconteceu-lhe como a muitos outros. Mas ainda bem que o convenceram a continuar, pois é um grande jogador, um dos melhores da Argentina atualmente, um verdadeiro craque", afirmou ao DN o ex-jogador do Sporting, não se cansando de elogiar o novo pupilo de Jorge Jesus, com quem partilhou balneário esta temporada no Racing.

"É muito versátil, tanto joga ao meio como dos dois lados do ataque, tem um pé esquerdo fantástico, e depois tem também muita presença na área, marca vários golos. Neste ano que terminou foi o melhor jogador do Racing e um dos melhores do campeonato argentino", salientou.

Marcos Acuña, ou Huevo (ovo) - como é conhecido porque, em criança, passava a vida a fazer galos na cabeça (huevos, na Argentina) -, acabou por singrar no futebol argentino depois de ter sido aceite pelo Ferro Carril Oeste. Com 17 anos saiu da pequena cidade de Zapala para um dos bairros mais povoados de Buenos Aires. O sonho de jogar futebol estava a concretizar-se, mas a mudança não foi fácil. Foi assaltado em três ocasiões, numa delas de pistola em riste. Mais uma vez pensou no abandono, mas desta vez nem foi a mãe a convencê-lo a continuar. "Não podia desiludir a minha mãe que tanto apostou em mim. Quis voltar a Zapala, nunca lhe disse, mas ponderei tudo e continuei", disse.

Marco Tosiglieri é então um dos que se deixaram convencer pelo talento do jogador que este ano foi eleito pelo jornal Olé como o futebolista do ano, tendo integrado também o onze ideal da mesma publicação. O central de 29 anos diz que os adeptos leoninos vão ficar muito satisfeitos com Acuña.

"Não é só um dos melhores de sempre do Racing, como também o futuro do futebol argentino. Tem sido chamado à seleção e ninguém duvida do seu valor. Tem muito talento e vai encantar em Portugal e no Sporting. Tenho a certeza de que será um dos destaques do campeonato. Os adeptos podem ficar descansados, contrataram um jogador de enorme qualidade", disse Torsiglieri, salientando que dificilmente o Sporting segurará o seu compatriota durante muito tempo.

"Será muito difícil segurar um talento destes num campeonato como o de Portugal. Vai para a Europa mostrar-se ainda mais e depois os principais clubes europeus estão sempre atentos ao campeonato português. Tenho a certeza de que acabará ainda num clube maior", afirmou o defesa, que já deu alguns conselhos ao antigo colega.

"Disse-lhe que a cidade é fantástica e que se come muito bem. Gostamos mais de carne, de grelhados, mas aprendi a gostar muito de peixe em Portugal e aconselhei-o a visitar toda a costa. Também lhe falei dos adeptos dos três grandes em Portugal, da exigência, mas isso já ele está habituado aqui na Argentina. Vai para um clube vencedor, mas também ele tem mentalidade vencedora", referiu o argentino de 29 anos.

Terceiro mais caro

O Sporting ainda não oficializou a contratação de Marcos Acuña, que já treina na Suíça juntamente com os novos colegas, mas, segundo algumas informações veiculadas na Argentina, o jogador de 25 anos deverá custar 8,5 milhões de euros, o que o coloca como a contratação mais cara do verão, ao lado de Bruno Fernandes, que também chegou este ano ao Sporting, proveniente da Sampdoria.

Mais caros, na história do Sporting, apenas o holandês Bas Dost (dez milhões) e o brasileiro Elias (8,8 milhões).

Acuña, refira-se, terá um contrato de quatro temporadas à sua espera, além de que ainda esta terça--feira os leões deverão confirmar a transferência do agora ex-jogador do Racing.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub