Godinho Lopes: "Vercauteren tem o ADN do Sporting"

Godinho Lopes justifica a contratação de Franky Vercauteren e assume que o nome de Scolari esteve em cima da mesa. "O Sporting tem de redefinir o projeto do futebol e afirmar-se na área da formação onde é bom."

"Com a escolha do treinador [Franky Vercauteren] temos de assumir para onde queremos ir. O Sporting tem que se afirmar naquilo que é bom. E essa área é a formação. Por isso o Sporting foi buscar um treinador bom nessa área. Um treinador que fez parte da formação do Anderlecht e foi campeão três anos."

Foi desta forma que Godinho Lopes justificou na entrevista a Fátima Campos Ferreira, na estreia do programa 'Última Palavra' ontem na RTP Informação, a contratação do técnico belga em detrimento de Scolari, um nome que o presidente do Sporting também esteve em cima da mesa para a equipa técnica leonina.

"O problema do clube não é o treinador. Mas de reestruturação. O Scolari foi um nome. É verdade. Houve variadíssimos nomes colocados em cima da mesa. Nós procuramos equacionar qual o nome que respondia aos desafios do Sporting. O Scolari teve sucesso em Portugal eu era incapaz de fazer qualquer comentário.", justificou o dirigente.

Questionado sobre a imposição do nome de Scolari pela banca nesta decisão, o dirigente leonino revelou:

"É normal a especulação. Não vou criticar. A banca não teve nada a ver com essa opção. A banca tem sido injustiçada quando é ela que tem alimentado o Sporting ao longo destes últimos anos."

A abordagem ao Scolari foi minha mais decidi que teria de ter uma escolha mais abrangente que tem a ver com o novo modelo. Precisava de alguém que tivesse esse ADN."

Godinho Lopes insiste na justificação da contratação do técnico belga: "A escolha do treinador nesta fase resulta de uma redefinição do projecto. Embora digam que não havia treinador para treinar o Sporting, posso dizer que houve dezenas de ofertas.O Sporting é um clube grande. O Sporting tem de garantir a internacionalização através da sua formação."

A justificação do dirigente passa por um "momento de viragem no Sporting. Um projeto sustentável." Para isso Godinho Lopes assume: "O futebol vai ficar debaixo da minha responsabilidade. Sou totalmente responsável das decisões anteriores mesmo com Carlos Freitas. Mas agora vou seguir mais de perto. É crucial.

O dirigente insiste na formação elogiado o modelo e os sucesso do Sporting. "Na área de formação iniciados juvenis e juniores tem tido sucesso apesar da mudança das equipas técnicas.É um modelos organizado, instalado."

Já quanto à equipa de futebol profissional não pouca as criticas. "Não há sucesso na área profissional. Não é de agora. O Sporting nos últimos 30 anos ganhou dois campeonatos.Algo está errado.Havia uma 'bicefalia' clara entre o SCP e a SAD na área do futebol. Decidimos reprogramar. Alterar o paradigma. Assumi a responsabilidade. Admitimos uma pessoa, Paulo Farinha Alves, um jurista. Não vem tratar do futebol. será responsável pelos contratos pelas leis."

Fátima Campos Ferreira, sempre muito incisiva, atira: "Não dá uma ideia de decisões errática? Pela primeira vez assume que o seu projeto falhou?

"...na área do futebol. Quando cheguei ao Sporting o problema era auditoria. a auditoria fez-se. depois a revisão dos estatutos.a revisão dos estatutos fez-se. o problema a final era as modalidades. criaram-se mais cinco modalidades. O problema era o pavilhão. Arranjámos temporariamente uma solução durante 20 anos."

Exclusivos