Fernando Correia diz que Bruno de Carvalho aguarda Sousa Cintra

Porta-voz do Conselho Diretivo desmente que o antigo presidente tenha sido impedido de entrar nas instalações leoninas

Fernando Correia dirigiu-se nesta segunda-feira aos jornalistas para desmentir que Sousa Cintra, elemento da Comissão de Gestão designado para a SAD, tenha sido impedido de entrar nas instalações do Sporting.

"Não é verdade que Bruno de Carvalho tenha impedido a entrada de Sousa Cintra. Ele pode vir hoje à hora que quiser e será recebido para iniciar as suas funções", disse Fernando Correia explicando que "os serviços de segurança" lhe garantiram que Sousa Cintra "não compareceu nas instalações da SAD". Mais, Fernando Correia adianta ainda que Bruno de Carvalho enviou duas mensagens a Sousa Cintra, garantindo que estava à sua espera para "prestar alguns esclarecimentos e assinar algum documento que seja necessário"

Nas palavras do porta-voz, Bruno de Carvalho parece disposto a fazer uma transição tranquila: "Bruno de Carvalho está na SAD à espera de Sousa Cintra."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.