Contrato de Jesus na Net. Há suspeitas de pirataria informática em Alvalade

Publicação do alegado contrato de Jesus e de outros documentos na internet surge após cinco dias de problemas na rede dos leões

O Sporting apresentou ontem à tarde uma queixa na Polícia Judiciária para que seja investigada a fuga de documentos confidenciais para a internet, mais concretamente no site Football Leaks (sediado na Rússia), no qual foi publicado o contrato com o treinador Jorge Jesus, mas também os documentos relativos às negociações dos leões para as contratações dos jogadores Danilo Pereira, Mitroglou e Franco Cervi.

Os leões pretendem saber de onde e de que forma aconteceram estas fugas de informação. No entanto, ao que o DN apurou, há a suspeita em Alvalade de que tenha existido pirataria informática, isto tendo em conta que na semana passada os serviços do Sporting estiveram sem acesso aos e-mails por via do Outlook durante cinco dias. Aliás, durante esse período, todos os e-mails enviados para o Sporting foram devolvidos com a informação de que não teria sido possível a entrega do correio eletrónico.

Este problema foi, sabe o DN, relatado às autoridades, existindo por isso a possibilidade de Alvalade ter sido alvo de hackers. Em comunicado publicado no seu site oficial, o Sporting não confirmou a autenticidade da documentação publicitada pelo Football Leaks, acrescentando que o caso foi "entregue às autoridades policiais" porque nos documentos constam "assinaturas de administradores e/ou funcionários do clube".

Por sua vez, Luís Miguel Henrique, advogado de Jorge Jesus, admitiu ao DN tratar-se do contrato, apesar de ainda não ter oportunidade de ter visto o documento publicado na internet. "Pelo que me disseram, nomeadamente em relação ao prémio de campeão nacional, que ainda não era conhecido e que é o dobro do que tinha no Benfica, parece-me ser, de facto, o contrato que foi assinado pelas partes", disse, esclarecendo que não irá fazer qualquer queixa individual às autoridades. "Vamos associar-nos à queixa apresentada pelo Sporting", sublinhou.

O presidente Bruno de Carvalho não tomou qualquer posição oficial sobre esta fuga de documentos para a internet, algo que deverá acontecer hoje após o jogo em Istambul, com o Besiktas, a contar para a segunda jornada da fase de grupos da Liga Europa.

Entretanto, o treinador Jorge Jesus afirmou ontem, na antevisão ao jogo na Turquia, desconhecer a divulgação do seu contrato, mas também não se mostrou preocupado. "Não há nada para esconder. O meu contrato está na CMVM. Se toda a gente descontasse 60% do seu ordenado para o Estado social estávamos muito melhor. Sou uma das pessoas que fazem muito bem a muitos desempregados. Desconto, e bem", assumiu.

O alegado contrato divulgado pelo Football Leaks revela que Jesus recebe um salário anual ilíquido de "cinco milhões e quatro euros", tendo ainda uma série de prémios por objetivos desportivos: dois milhões de euros pelo título de campeão nacional, quatro milhões pela conquista da Liga dos Campeões, um milhão pelo triunfo na Liga Europa, 500 mil euros pela Taça de Portugal e 250 mil pela Taça da Liga. Certo é que Jorge Jesus já arrecadou, segundo o documento divulgado, 200 mil euros de prémio pela vitória na Supertaça diante do Benfica.

Outra confirmação tem que ver com o facto de não haver cláusula de rescisão no contrato com o treinador, bastando a Jesus pagar as remunerações ilíquidas que lhe seriam pagas até ao final do contrato (30 de junho de 2018).

Um dado importante revelado por este contrato é o facto de estar datado de 5 de junho de 2015, uma altura em que Jesus ainda tinha contrato em vigor com o Benfica, algo que fonte encarnada revelou não ser uma informação importante para a SAD no diferendo que irá esgrimir em tribunal para não pagar o último mês de salário por alegadamente estar já ao serviço do Sporting, uma vez que o contrato será sempre requerido pelo juiz.

João Diogo Manteigas, especialista em direito desportivo, garantiu entretanto ao DN que "apesar de à data de assinatura de contrato Jesus ser funcionário do Benfica, funciona como um contrato-promessa, uma vez que o documento diz que o contrato "tem início a 1 de julho de 2015". Nesse sentido, o advogado garante que, para terem sucesso, os encarnados têm de "fazer prova de que Jesus já trabalhava para o Sporting".

Refira-se que o Football Leaks divulgou ainda uma parceria entre o Sporting e o clube angolano Recreativo Caála, que irá comprar os direitos do brasileiro Bruno Paulista ao Bahia no final da época e depois cedê-lo ao Sporting. Aliás, foi através deste emblema que os leões tentaram adquirir o argentino Franco Cervi, que assinou pelo Benfica. com Gonçalo Lopes

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.