Comissão Arbitral Paritária deu razão ao Sporting

Organismo de litígios da Liga negou pedido de nulidade de contrato de Bruma e reconheceu vínculo até junho de 2014.

A Comissão Arbitral Paritária (CAP) deu razão ao Sporting no diferendo contratual que o opõe ao jogador Bruma.

O organismo da Liga de Clubes tinha em mãos um pedido do jogador, de nulidade do contrato que o liga aos leões por mais uma temporada, até final de 2013/2014. O clube alegava que o jogador tinha mais um ano de contrato e viu a CAP reconhecer-lhe razão, considerando improcedente o processo interposto por Bruma.

Esta decisão abre agora novas interrogações em relação ao futuro de Bruma, uma vez que os representantes do jogador dizem que ele não tem condições psicológicas para voltar a Alvalade, e é cobiçado por vários clubes europeus (PSV, Galatasary, Chelsea, e Real Madrid, além de Benfica e FC Porto). Bruma tem treinado sozinho (em Mafra) com a ajuda do preparador físico Rui Oliveira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.