Carlos Mané diz que volta "mais competitivo" a Alvalade

Avançado de 24 anos está de regresso ao Sporting, após dois anos emprestado ao Estugarda. Não joga desde abril do ano passado

"É um Mané mais competitivo. Apesar de estar lesionado há algum tempo, agora estou praticamente recuperado e vou dar o melhor para dar coisas boas ao Sporting. Sou um jogador muito mais forte e de certeza que, com a fome que tenho de futebol, vou dar tudo para ajudar o clube. Foi uma boa experiência, estar longe do país pela primeira vez, mas agora estou de volta", afirmou Carlos Mané à Sporting TV, no dia do arranque dos trabalhos do plantel leonino, quando questionado sobre o efeito da experiência no futebol alemão, ao serviço do Estugarda.

"É um orgulho estar de volta ao clube do meu coração e queremos devolver a alegria ao Sporting. Já tinha saudades e, com a ajuda dos adeptos, a equipa vai estar mais forte. Os adeptos do Sporting merecem o título. Agora estive de fora e senti que os adeptos ajudam o clube e merecem sorrir", acrescentou o avançado português de 24 anos.

Já o reforço Raphinha, oriundo do Vitória de Guimarães, promete empenho de leão ao peito. "É um prazer imenso poder vestir esta camisola, vou estar aqui para dar o meu máximo. É um crescimento muito grande, converso muito com os meus pais, e é mais um passo. Começar no Avaí e chegar ao Sporting, um dos maiores clubes do mundo, é uma honra. Vou dar sempre o melhor em cada treino, sempre à procura do melhor para a equipa. Passei aqui como adversário, estou muito ansioso pela estreia. É uma responsabilidade maior, mas, com calma, vai dar tudo certo", comentou o extremo brasileiro de 22 anos. "Confiem no nosso grupo de trabalho. Vai correr tudo bem este ano e vamos conseguir grandes coisas", aditou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.