"Bruno de Carvalho não é um marquês, é um homem do povo"

Para o psiquiatra o novo presidente tem de poupar, cortar a direito e aproximar o clube da matriz popular, deixando a elite afastada do poder. E provar por que foi eleito por 60% dos sócios do Sporting

Nas conversas que manteve sentiu que os ditos notáveis tinham medo de que Bruno de Carvalho fosse eleito presidente... (interrompe)

Medo? Eu diria pavor.

A quem se refere?

José Maria Ricciardi, Godinho Lopes, Nobre Guedes. Várias vezes nos disseram que se Bruno de Carvalho fosse eleito o Sporting acabava. Porquê? Porque lhe fizeram uma campanha negra e porque o novo presidente vai ter uma prática diferente. Pode correr mal, mas eu espero que corra bem. Vai cortar a direito, vai poupar, não vai ter luxos e, sobretudo, vai estar com os sócios. Tem um enorme significado ter-se sentado no banco. Vai ter uma ligação com os jogadores e os sócios completamente diferente. Não se pode ter a relação distante de que Godinho Lopes tinha com os jogadores e o desprezo que tinha pelos sócios. A elite do Sporting, as pessoas da tribuna onde me sentei e sei do que falo, tinha um profundo desprezo pelos sócios. Essa prática Bruno de Carvalho vai romper com ela. Não é por acaso que quando Eduardo Barroso anuncia a vitória de Bruno de Carvalho se grite "acabaram-se os tachos". É isto que os sócios sentem, que o Sporting era dominado por uma elite que procurava protagonismo pessoal e notoriedade.

Com a eleição de Bruno de Carvalho significa que essa elite deixou de controlar o Sporting?

Espero que sim e para sempre. O Sporting tem que voltar-se para uma matriz popular. O Sporting tem na sua génese uma coisa terrível; ter sido fundado por um visconde. E isso faz com que seja para algumas pessoas um clube elitista, mas o futebol é uma coisa do povo. Os intelectuais dão-se mal no futebol. Eu dei-me mal no futebol.

Não pretende voltar um dia?

Nunca mais. Vou voltar ao meu lugar de leão na bancada e não volto a meter-me noutra.

Já percebi que acha que Bruno de Carvalho está a devolver o clube ao povo, mas vai devolvê-lo também aos títulos?

Aos títulos não sei. O que acho possível é o Sporting em cada jogo lutar com garra. No mandato de quatro anos vamos ter títulos mas sem promessas aos sócios. Devemos dizer que vamos esfarrapar-nos para ganhar e, sobretudo, organizar o clube; fazer a ligação profunda entre a SAD e o Conselho Diretivo. Ninguém sabia o que se passava na SAD, o próprio Conselho Diretivo não ia à Academia. Funcionavam como dois corpos estranhos. Só quando Godinho Lopes assumiu o futebol é que se começou a perceber melhor o que se passava na SAD. Sei como o Sporting funcionou, os treinadores não foram apoiados. Domingos não foi apoiado, Sá Pinto não foi apoiado. Vercauteren foi anunciado no Conselho Leonino como um dos melhores treinadores do mundo.

Do mundo?

É verdade, era visto como um ótimo treinador da formação, uma ótima escolha e agora coitado anda por aí a envergonhar o nome do Sporting dizendo que o clube não lhe paga. Tudo isto foi uma gestão ruinosa do clube. Vamos agora falar do futuro.

Que mensagem quer deixar?

O Sporting só tem uma solução: matriz popular. Devolver o Sporting aos sócios, ouvir os sócios, transformar o Conselho Leonino num órgão de trabalho para fazer propostas, se isso não acontecer extingui-lo. E apostar na formação, acompanhando os jovens da Academia a todos os níveis. Os jovens estão abandonados na Academia.

Votou em Bruno de Carvalho?

Acho que Bruno de Carvalho neste momento é a solução, votei nele, mas tem que provar. Daqui a um ano posso ter uma má opinião sobre Bruno de Carvalho, mas ele vai ter uma prática diferente. Ele é um homem do povo, não é um marquês. E ainda bem. Estou farto de sportinguistas de consoantes dobradas que deram cabo do clube. Prefiro um homem do povo, da classe média, que lutou a pulso.

Inácio já disse que vê Bruno de Carvalho como um presidente para vários mandatos. Subscreve?

Completamente. Tem 41 anos e as pessoas têm a sua época. Vai ter um primeiro ano muito difícil e dentro de um ano podemos chegar à conclusão que não foi capaz. Não se pode é fazer uma campanha negra contra uma pessoa. 60% dos sócios votaram nele, porque não havemos de confiar?

A denominada elite vai dificultar a vida a Bruno de Carvalho?

Claro que vai dificultar. Já andam a dizer que vai durar três meses. Cá estarei eu para denunciar essa elite, quero é que essa elite seja varrida do Sporting. Que fique no seu lugar na bancada mas não deve ter acesso ao poder. Tudo farei para que essas pessoas não tenham novamente acesso ao poder.

Exclusivos