Bruno de Carvalho arrisca castigo entre dois meses e dois anos

A Comissão de Instrutores da Liga propõe ao Conselho de Disciplina uma dura punição por declarações proferidas a 7 de janeiro

A Comissão de Instrutores da Liga enviou para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol uma proposta para punir Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, com uma "sanção de suspensão a fixar entre um mínimo de dois meses e o máximo de dois anos".

Em causa estão declarações de Bruno de Carvalho no dia 7 de janeiro de 2017 no Núcleo do Sporting das Caldas da Rainha, onde terá proferido, entre outras, as seguintes declarações que foram tidas em conta na análise deste processo: "os árbitros estão absolutamente condicionados"; "Já disse isto várias vezes e volto a alertar: os árbitros vão muitas vezes para o campo condicionados"; "E enquanto não se mexer nisto, os árbitros vão continuar perfeitamente condicionados naquilo que é o seu trabalho, porque em vez de fazerem aquilo que acham que devem fazer, muitas vezes podem fazer aquilo que acham que o observador quer que eles façam".

Leia aqui a proposta na íntegra

Nesse sentido, a Comissão de Instrutores sugere a aplicação combinada dos artigos 136º, nº1 e 112º, nº 1 do Regulamento Disciplinar, que sugere a punição de dirigentes "que desrespeitarem ou usarem expressões, desenhos, escritos ou gestos injuriosos, difamatórios ou grosseiros contra os membros dos órgãos da estrutura desportiva, elementos da equipa de arbitragem, dirigentes, jogadores, demais agentes desportivos ou espectadores, são punidos com a sanção de suspensão a fixar entre o mínimo de um mês e o máximo de um ano", além de uma multa.

No entanto, a Comissão recorda que "em caso de reincidência, os limites mínimo e máximo das sanções previstas [...] serão elevadas para o dobro". Ou seja, os limites da pena sugerida são então entre os dois meses e os dois anos.

Ler mais

Exclusivos