João Rocha Júnior tentado a ir a votos pediu conselhos ao pai

ISAURA ALMEIDA

João Rocha Júnior está em reflexão. O filho do antigo presidente (entre 1973 e1986) João Rocha falou com o pai e comunicou-lhe que estava tentado a ir a votos no dia 26 de Março, sabe o DN. O antigo líder leonino terá mesmo dito ao filho que gostava muito de o ver presidente, mas não agora, nesta fase conturbada pós-Bettencourt.

Os apelos a Rocha Jr. são muitos e a tentação é grande. O movimento em defesa da sua candidatura na rede social Facebook tem já 5000 amigos e mais 5400 pedidos de amizade. Isto perfaz um universo de dez mil pessoas a simpatizar com a figura do filho do antigo líder.

O fascínio à volta da família Rocha é explicável com o regresso ao passado e a nostalgia dos anos 70/80, em que as bancadas do estádio estavam cheias e o clube tinha equipas vencedoras. Como explicou ao DN Bernardo Dinis (dono do Museu leonino em Leria), "João Rocha é uma referência enorme no Sporting, tive o privilégio de conviver com ele na direcção, tenho muitas saudades da sua gestão e do seu sportinguismo".

Para o conhecido sócio leonino há uma expressão que resume a obra dele: "Já dizia o Alfredo Farinha que com o João Rocha o Sporting nunca estava em crise desportiva. Porque vencia sempre um título todos os anos, fosse no futebol ou noutra modalidade. Tinha pujança."

E será o filho uma garantia da recuperação do legado de Rocha? "Jamais vou duvidar do sportinguismo de um Rocha, mas os tempos são outros e ser ou não um bom candidato depende do projecto que ele apresentar e não do pai ", diz Bernardo Dinis.

Com "as suas virtudes e os seus defeitos", João Rocha está ligado à melhor equipa de hóquei em patins de sempre (venceu título europeu em 1977), à bota de ouro de Yazalde e ao título olímpico de Carlos Lopes (foram ambos recebidos na Casa Branca pelo presidente dos EUA Ronald Reagan).

Além disso, teve a ideia de criar o primeiro projecto de clube-empresa em Portugal. Com ele, o futebol ganhou três campeonatos e três Taças de Portugal. Na obra física destaque para a construção da pista de tartan, do pavilhão e das novas torres de iluminação do estádio e das salas do Bingo. Em 1986 saiu, após 13 anos de liderança ( a mais longa da história), deixando o clube com 106 954 sócios.