Godinho Lopes recusa "bater a porta"

Presidente do Sporting explica que não vai deixar o clube de Alvalade por este não ser o legado que quer deixar aos seus filhos.

Godinho Lopes voltou a reforçar que não tenciona apresentar a demissão da presidência do Sporting, apesar de ser esse o desejo de muitos dos associados do clube de Alvalade.

"Poderia seguir o caminho mais fácil, que seria bater com a porta, mas isso não corresponde ao que quero deixar como legado aos meus filhos. Sou uma pessoa combativa e vou sempre atrás daquilo em que acredito", disse o presidente dos leões, este sábado, ainda antes de o Sporting perder perdido com o Rio Ave, por 3-0, e também ter hipotecado a Taça da Liga.

O dirigente leonino confirmou aquilo que já havia sido adiantado pelo DN: o mês de janeiro servirá para "limpar" o balneário. "Há um objetivo claro que passa pela criação de uma estrutura adaptada à atual estrutura do clube, e digo isto porque não estamos na Liga dos Campeões, nem na Liga Europa. Não se justifica termos um plantel tão caro como aquele que temos hoje. No entanto, ainda que enquadrados nesta nova situação, posso dizer que os nossos objetivos se mantêm ambiciosos", garantiu o técnico dos leões.

Daniel Carriço, Xandão, Izmailov, Elias, Pranjic, Adrien, Jeffrén e Boulahrouz são os oito jogadores que a SAD presente transferir em janeiro, não só para garantir encaixes financeiros no imediato, como para aliviar a folha salarial do clube.