Godinho Lopes fica fora da corrida à presidência

O presidente demissionário coloca de parte a recandidatura e diz que não vai interferir no processo eleitoral.

O presidente demissionário do Sporting, Luís Godinho Lopes, excluiu hoje a possibilidade de se recandidatar ao cargo, e promete não interferir no processo que conduzirá às eleições de 23 de março.

"Os candidatos estão perfilados. Aos sócios compete decidir na Assembleia Geral Eleitoral. Eu, não sendo candidato, não serei elemento perturbador no debate, de modo a permitir que o mesmo seja profícuo, em que se fale do futuro e das respetivas soluções", afirma Godinho Lopes, num comunicado enviado à agência Lusa.

Os órgãos sociais do Sporting demitiram-se em bloco a 4 de fevereiro, tendo sido marcadas eleições para 23 de março, após um entendimento entre os presidentes do Conselho Diretivo, Godinho Lopes, do Conselho Fiscal e Disciplinar, João Mello Franco, e da Mesa da Assembleia-Geral, Eduardo Barroso.

A Mesa da Assembleia-Geral tinha convocado uma reunião magna para 9 de fevereiro, requerida por um grupo de sócios com vista à destituição de Godinho Lopes, que foi desmarcada após a renúncia dos órgãos sociais do clube lisboeta.

Até ao momento, estão anunciadas três candidaturas à presidência do Sporting, encabeçadas por Carlos Severino, Bruno de Carvalho e João Pedro Paiva dos Santos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG