Godinho culpa Mesa da AG por falhanços nas aquisições

Presidente dos leões diz que negócios caíram depois do "alarido" que se passou na passada quinta-feira e salienta estar disposto a ir a votos

Godinho Lopes, presidente do Sporting, revelou esta sexta-feira que a não concretização de alguns negócios, como as chegadas de Niculae e Kléber, e ainda a saída de Wolfswinkel, se ficou a dever ao "alarido" da sessão de esclarecimentos que a Mesa da Assembleia Geral deu na passada quinta feira e ainda à Assembleia Geral marcada para dia 9.

"Infelizmente o mercado fechou de forma conturbada. Avisámos a Mesa da AG que durante o período de transferências nada poderia acontecer, mas ontem houve uma sessão de esclarecimentos da Mesa da AG, com Daniel Sampaio em direto, e essa situação foi grave", começou por dizer Godinho Lopes, salientando depois que os falhanços de algumas contratações ficaram a dever-se a essa situação.

"As contratações de Niculae e Kléber não foram possíveis, assim como a saída de Wolfswinkel. Começámos a receber propostas por Wolfswinkel e entendemos que precisávamos de dois avançados. Estávamos a negociar com o Dinamo de Kiev, que incluia a venda e o empréstimo de Milevsky e Marco Ruben, sem pagar salários e o empréstimo destes últimos. Com toda esta turbulência o Dinamo começou a recuar com os valores que tinha colocado em cima da mesa e entendemos que não poderíamos continuar assim. Entendemos continuar com o Wolfswinkel e contratar um outro", disse, justificando depois outras situações.

"Tentámos o Paulo Henrique, mas o treinador quis ficar com ele. A partir daí passámos para outras duas situações, o Niculae e o Kléber. O Niculae sabíamos da situação do jogo para a Supertaça, mas entendiamos que tinhamos de ter a certeza que poderia ser inscrito. Estava tudo a correr bem, mas pelo facto de haver uma AG dia 9 não faria sentido ter aqui o Niculae sem jogar, podendo não ser nós que iriamos tratar deste assunto na FIFA. Foi a única razão por que não ficou, ficámos de falar com ele no final da temporada.

Relativamente ao Kléber, as negociações foram feitas, ele já estava a caminho do aeroporto, quando recebo uma chamada da BMG, que tem 20% do seu passe, a pedir garantias minhas para a compra dessa percetangem, sobretudo devido ao alarido que houve ontem", salientou.

Quanto à possibilidade de eleições antecipadas, devido à AG marcada para dia 9, Godinho Lopes diz não ter medo de ir a votos. "Trouxemos 108 milhões desde que chegámos, queria dizer isto porque muitos perguntam pelos 100 milhões que prometemos. Por tudo isto não temos medo da vontade dos sócios e estamos dispostos a ir a votos se for necessário, mas no final da época", disse.

Ainda no que diz respeito a mercado, Godinho Lopes confirma que esteve em cima da mesa uma troca entre Benfica e Sporting. "O presidente do Benfica queria um encontro, pretendiam o Insua e davam o Nolito e o Kardec até final da temporada, mas não foi possível", salientou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG