Bruno de Carvalho: "Samaris? Se calhar é preciso arrancar a cabeça a alguém"

O presidente do Sporting disse que deveria ter sido instaurado um processo sumário ao jogador do Benfica

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, defendeu esta quinta-feira que deveria ter sido instaurado um processo sumário (e não disciplinar) a Samaris, após a agressão no jogo do Moreirense. Caso assim fosse, o grego ficaria suspenso preventivamente.

"O futebol tem muita coisa para alterar. Temos de começar a perceber que futebol queremos, há quatro anos que digo isto. Por exemplo, ainda hoje as minhas filhas ouvem que o pai cuspiu em alguém. É um processo que tem a ver com a minha dignidade, com a minha honra. Já passaram seis meses e ainda decorre. Se o processo do Samaris não é sumário, se calhar é preciso arrancar a cabeça a alguém", disse Bruno de Carvalho, depois de ter estado reunido com o presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença.

Quando questionado sobre o que foi falado na reunião, o presidente do Sporting explicou que está relacionado com o castigo de 113 dias que lhe foi imposto "Viemos com uma temática que consideramos importante, relacionada com uma alteração no regulamento. No futebol não pode haver normas que não cumpram a Constituição e que violem os direitos de liberdade. A Liga ficou de analisar. Sei que foram os clubes que aprovaram, mas devemos reconhecer que está errado. Os castigos devem cingir-se com o que é desportivo e se formos analisar a atual lei estaria até impedido de assinar contratos."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG