Bruno de Carvalho ganha assembleia e pede boicote aos media

Presidente legitimado por esmagadora maioria faz pedido a sócios: deixem de comprar jornais e de ver televisões nacionais

Cerca de 6400 sócios do Sporting não deixaram margem para dúvidas, expressando inequívoco apoio a Bruno de Carvalho na assembleia geral de ontem. A alteração dos estatutos e o novo regulamento disciplinar foram aprovados, respetivamente, com 87,3% e 87,8% dos votos, enquanto a continuidade dos órgãos sociais teve o apoio de 89,55%. Bruno de Carvalho teve assim sucesso na jogada que lançou, quando garantiu que se demitiria caso não tivesse pelo menos 75% em cada um dos pontos.

Foi ao fim de seis horas e meia de reunião magna que Jaime Marta Soares, presidente da mesa da assembleia geral, anunciou os resultados, com o pavilhão a explodir com gritos de apoio ao Sporting. "Foi-nos acrescida ainda maior responsabilidade e posso-vos prometer em nome dos órgãos sociais que a vossa confiança vai ser retribuída com paixão, compromisso e glória, porque vocês merecem", sublinhou Bruno de Carvalho, dirigindo-se aos associados.

Logo a seguir, fez-lhes três pedidos: "Não comprem mais jornais, não vejam mais televisões portuguesas a não ser a Sporting TV e os nossos comentadores que abandonem aqueles programas vergonhosos de paineleiros e cartilheiros." Depois desta exaltação do presidente do Sporting, vários sócios tentaram agredir jornalistas à saída da assembleia, obrigando a reforço da segurança por parte da PSP.

Ataques e momentos "quentes"

Desta vez, ao contrário do sucedido na reunião magna de há duas semanas, tudo começou a horas, devido à melhor organização. Isto apesar da afluência ontem ter sido mais de seis vezes superior, pois tinham estado presentes pouco menos do que mil associados na anterior assembleia geral. Os sócios leoninos puderam ir votando ao longo de toda a tarde nas 45 urnas disponíveis no Pavilhão João Rocha e também no Multidesportivo do Estádio José Alvalade, para onde foram encaminhadas as cerca de duas mil pessoas que já não couberam no Pavilhão.

Os trabalhos começaram com uma intervenção de Bruno de Carvalho, em que atacou algumas figuras ligadas ao Sporting, como Pedro Madeira Rodrigues, Dias da Cunha, Rogério Alves, Filipe Soares Franco, Sérgio Abrantes Mendes e José Roquette. Sobre este último afirmou "ser um homem que representa tudo o que de errado há neste país, estando envolvido em casos gravíssimos de justiça".

No entanto, a maior revelação de Bruno de Carvalho disse respeito ao ex-treinador Marco Silva, tendo avançado a principal razão para a sua saída do clube: "Ele disse a um jornalista que nunca seria despedido e que iria fazer os sócios do Sporting despedirem-me."

De acordo com a fonte do DN, apesar da quase unanimidade de apoio a Bruno de Carvalho nas 33 intervenções de sócios, viveram-se alguns momentos quentes. O primeiro envolveu Carlos Severino, no momento em que abandonou o pavilhão, logo depois de ter exercido o seu direito de voto. O ex-candidato à presidência do clube revelou ter sido ameaçado de morte, mas desmentiu qualquer agressão, falando apenas num empurrão.

Refira-se que o momento de maior boa disposição teve indiretamente que ver com este antigo candidato a presidente, quando foi anunciado que iria usar da palavra, o que provocou uma monumental assobiadela. Mas afinal, era apenas um sócio com o mesmo nome...

Mas o momento de maior tensão ocorreu quando Pedro Marques, vocalista da banda Supporting, subiu ao palco para exigir a Bruno de Carvalho não ser chamado de "sportingado", isto depois de ter criticado algumas das alterações propostas nas redes sociais.

Pedro Marques revelou que Mustafá, líder da Juventude Leonina, lhe informou que estava proibido pelo presidente do Sporting de ser um dos "capos" da claque (elemento que lança os cânticos durante os jogos). Bruno de Carvalho apelidou a revelação de "história da carochinha" e Pedro Marques aproximou-se do microfone, para responder. Foi então que membros da claque subiram ao palco, gerando--se uma grande confusão que obrigou à intervenção dos seguranças. Acabou por ser Bruno de Carvalho a chamar de novo Pedro Marques, para que concluísse a sua intervenção sem problemas.

Alterações aprovadas

Com as mudanças ontem aprovadas no Regulamento Disciplinar, passam a estar previstas sanções "para quem praticar atos ou comportamentos, no âmbito da atividades de grupos reconhecidos ou identificados com o Sporting, ofensivos ou injuriosos de qualquer membro dos órgãos sociais". A alteração dos estatutos tem como consequência principal a extinção do conselho leonino, deixando ainda de haver o método de Hondt para a composição do conselho fiscal e disciplinar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG