Bruno de Carvalho decidiu não ir para o banco no dérbi

Presidente leonino vai processar José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina, a quem acusa de "bullying puro" e de ter transformado a situação numa "questão pessoal pura"

Bruno de Carvalho ponderou e decidiu não ir para o banco no dérbi de sábado com o Benfica e, assim, cumprir os seis dias de castigo aplicados pelo Conselho de Disciplina liderado por José Manuel Meirim por insultos a António Salvador, presidente do Sporting de Braga.

"A minha primeira decisão foi ir para o banco, mas o meu advogado fez-me uma pergunta que acho muito pertinente; perguntou-me se preferia mostrar a minha indignação indo para o banco, e nesse caso, independentemente de ter a certeza que o castigo de seis dias me seria retirado, a pessoa em questão [ndr. José Manuel Meirim] me poderia dar outra suspensão, ou se por outro lado prefiro ver o jogo calmamente, apreciar a vitória e mostrar a minha indignação vencendo o processo no tribunal a este senhor. A minha opção é não ir para o banco. Não quero dar essa alegria, quero mostrar a minha indignação ao ganhar este processo cível e mostrar que estas pessoas não merecem estar no futebol. Qual é a razão para estas pessoas fazerem bullying? É bullying puro e não sei se é uma forma inversa de amor. Já vão 315 dias de castigo que cumpri, sofridos, e que agora foram retirados. E agora esta coisa... Estou no banco, gosto de ali estar, gosto de observar os pormenores mas não sou uma opção para entrar. Se fosse opção para entrar faria falta, assim é só uma pena", afirmou Bruno de Carvalho na Sporting TV.

E acrescentou ainda: "Isto é uma questão pessoal pura, toda a gente sabe onde que o presidente gosta de ver o jogo ali. Então pensaram: 'sim senhor, então vamos esperar uns dias e não o deixamos ir". O bullying não são os 'x' dias de castigo, mas sim o facto de eu não ir ao jogo", rematou.

Bruno de Carvalho atirou-se ainda ao líder do Sp. Braga. "António Salvador atacou-me vezes sem conta e viu-se a forma como D. Quixote se lançou ao Bruno Mascarenhas nesta última Assembleia Geral. Tenho pena, de facto, que um comentário tão básico que o Sporting fez tenha merecido logo aquela intervenção de António Salvador, que apareceu a defender a sua dama. Não percebi qual era a dama, porque o comentário de Bruno Mascarenhas tinha a ver com o Benfica e com o seu representante. Ou melhor, percebi, e espero que as pessoas tenham percebido também."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG