Sobrevivente revela que ninguém percebeu que o avião ia cair

O comissário de bordo Erwin Tumiri revelou à TV Globo tudo o que se passou a bordo do voo da Lamia

Erwin Tumiri, comissário de bordo do voo da Lamia que se despenhou na terça-feira passada com a equipa da Chapecoense, está internado num hospital da Bolívia e contou, em entrevista ao programa Fantástico da TV Globo, que ninguém dentro do avião se apercebeu que o acidente estava iminente.

"Ninguém percebeu que ia cair, estava a ser a preparação para uma aterragem normal. Não houve qualquer informação sobre o risco de queda", contou, recordando os momentos que antecederam o acidente: "Estava a falar com o treinador Caio Júnior, que estava a ensinar-me a falar português, quando o comandante disse para apertarmos os cintos. Houve turbulência, mas pensávamos que estava tudo normal, depois apagaram-se as luzes e caímos."

Veja aqui o vídeo:

Tumiri contou como foram aqueles momentos após o acidente: "Era como um pesadelo, nem eu acreditava. Acordei e disse: o que se passou aqui? Peguei na minha lanterna e pedi por socorro, pisquei a lanterna para que me vissem. A Ximena [hospedeira sobrevivente] estava a cinco metros de mim e assim que me levantei corri em direção a ela. Estava presa e eu soltei-a. Depois, como estava escuro, pensei ir até ao aeroporto e fui andando nessa direção. Vi muitos corpos espalhados e, tirando a voz de um brasileiro, não havia sinais de vida e eu estava preocupado que o avião explodisse."

O comissário de bordo revelou ainda que o comandante do avião garantiu logo à partida que o avião iria voar direto para Medellin, sem fazer qualquer paragem para reabastecimento.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.