Benfica fora da Taça da Liga. V. Setúbal está na final four

Sadinos venceram o Sp. Braga por 2-1, com dois golos de Gonçalo Paciência, e confirmaram o pior cenário para o Benfica

O Vitória de Setúbal é o primeiro apurado para a final four da Taça da Liga, que decorre em Braga, de 23 a 27 de janeiro. Ontem, pondo fim a uma série de sete derrotas consecutivas, o emblema sadino deu uma sapatada na crise: venceu o Sporting de Braga (2-1), assegurou o 1.º lugar do grupo A e deixou fora de prova os bracarenses... e o Benfica.

Após semanas de crise diretiva e desportiva, o Vitória pode ter entrado, por fim, numa nova fase. Anteontem, foi fora de campo: Vítor Hugo Valente venceu as conturbadas eleições a que era candidato único e foi empossado como novo presidente do clube. E ontem foi no relvado: os verde e brancos, últimos classificados da I Liga, surpreenderam o favorito Sporting de Braga e carimbaram a passagem às meias-finais (primeira etapa da final four) de uma prova de que têm gratas recordações - ganharam a primeira edição, em 2007-08.

No Bonfim, os heróis foram João Amaral e Gonçalo Paciência. O primeiro assistiu (32") e ganhou um penálti (50"), o segundo transformou ambas as ocasiões em golos. Pelo meio, o Braga ainda empatou a partida - aos 45", Costinha desviou para a própria baliza. Mas, depois, foi incapaz de evitar o desaire, que o afasta da hipótese de jogar, em casa, a final four da competição.

Também afastados ficam Benfica e Portimonense. Para o emblema da águia, grande dominador da prova (venceu sete das dez edições), cai mais um objetivo - depois das competições europeias (zero pontos na Liga dos Campeões) e da Taça de Portugal (eliminação nos oitavos--de-final, aos pés do Rio Ave). Resta à equipa de Rui Vitória lutar pelo (penta)campeonato.

Clássico à vista nas meias-finais

Conhecido o primeiro finalista, as restantes três vagas na final four da Taça da Liga ficam em aberto para a última jornada. No grupo B, o Sporting precisa de vencer na visita ao Belenenses, mas até o empate pode chegar (desde que o Marítimo não goleie o União por 7-0). De resto, o Belenenses também depende apenas de si: terá de vencer o dérbi (e marcar mais do que o Marítimo)

No grupo C, o líder surpresa é a Oliveirense, que, se vencer em casa do Feirense, só não será apurado se o Moreirense (detentor do troféu) golear o V. Guimarães. Já fogaceiros e vimaranenses têm vida difícil: precisariam de golear e esperar por uma ajuda no outro jogo.

Por fim, no grupo D, o FC Porto também está bem colocado para seguir em frente: tem de vencer em Paços de Ferreira, se o Leixões for ganhar a casa do Rio Ave, mas até o empate lhe pode chegar. Pacences e vilacondenses precisam de uma complexa conjugação de resultados para poderem sonhar.

Assim, com um duelo entre os vencedores dos grupos B e D agendado para as meias-finais, tudo se conjuga para que haja um clássico entre Sporting e FC Porto. O outro jogo (A vs. C) será um duelo de outsiders - com a certeza de que lá estará o V. Setúbal.

Com Carlos Nogueira

Exclusivos