Sérgio Paulinho vê Rui Costa como seu sucessor nas medalhas olímpicas

Ciclista da Tinkoff gostaria de participar nos Jogos Olímpicos, mas o grande objetivo da época será o Tour, na ajuda a Contador

Sérgio Paulinho, ciclista português da Tinkoff-Saxo, acredita que Rui Costa "reúne condições para discutir uma medalha" nos Jogos Olímpicos Rio2016, "dadas as qualidades que possui na montanha", embora o clima possa promover "uma surpresa".

Medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, Sérgio Paulinho diz-se, para já, "focado em participar no Tour", sem esconder o desejo de voltar à competição olímpica. "Estou focado no Tour, depois consoante decorrer a preparação para essa prova decidirei se participarei em mais alguma", esclareceu.

Sobre Rui Costa (Lampre-Merida), o colega de pelotão disse já ter tido a oportunidade de ver o circuito no Rio de Janeiro, traçado que considerou "muito exigente", mas que "Rui, pelo que já mostrou até agora, pode discutir a vitória".

Ainda assim, dadas as características do clima tropical daquela região do Brasil, designadamente o facto de "ser muito mais húmido" do que na Europa, pode, reconhece Sérgio Paulinho, "interferir bastante na condição física" dos ciclistas, razão pela qual não exclui a possibilidade de "haver uma surpresa grande no seu desfecho".

Falando à margem da apresentação do Douro Grandfondo, prova de cariz amador que vai decorrer na região do Douro, a 01 de maio de 2016, Tiago Machado (Katusha) aspira que "2016 seja melhor que 2015".

Quanto a objetivos para a nova época desportiva, Tiago Machado adiou para meio de dezembro uma resposta, ainda que uma presença no Rio2016 esteja no seu horizonte.

"Já havia dito que é uma prova que eu gostava de fazer, até porque nunca participei, agora se vou participar depende se irei ser escolhido. Julgo ter qualidade para ser um dos escolhidos", referiu Tiago Machado.

O ciclista português prefere ter cuidado na fixação de metas para 2016: "Sei o valor que tenho, mas não vou colocar a fasquia muito alta. Posso discutir algumas provas, mas não vou pensar em grande porque quanto mais alto for, maior é o tombo".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG