Bruno Alves: "Rúben Dias é agressivo, mas honesto"

Central do Rangers defendeu esta quinta-feira o companheiro de setor e de seleção nacional, que atua no Benfica.

Bruno Alves afirmou hoje que, apesar dos seus 36 anos, vai continuar disponível para representar Portugal após o Mundial 2018 e desvalorizou a possibilidade de se tornar no defesa mais internacional de sempre.

"Não tenho esse objetivo. O objetivo é ajudar a seleção, trabalhar e ajudar os meus companheiros dentro de campo. O que me motiva é estar presente na seleção, ajudar, jogar e fazer melhor", afirmou Bruno Alves, que conta com 95 jogos pela formação das quinas, menos 16 que o reformado Fernando Couto, que é o defesa mais internacional de sempre.

Apesar dos seus 36 anos, Bruno Alves descartou a possibilidade de deixar de representar Portugal após o Campeonato do Mundo e negou que o torneio que vai decorrer na Rússia possa ser a sua última fase final de uma grande competição.

"Só penso em ajudar a seleção. Não penso em terminar carreira, nem terminar com a seleção. Estou sempre disponível para ajudar. A seleção proporcionou-me momentos inesquecíveis", disse o central do Rangers, que falava em conferência de imprensa, na Cidade do Futebol, em Oeiras, minutos antes que mais um treino da seleção nacional.

Questionado sobre os incidentes que ocorreram na semana passada na Academia do Sporting, Bruno Alves considerou que isso "já é passado" e garantiu que Rui Patrício, William Carvalho, Bruno Fernandes e Gelson Martins vão ser "ajudados ao máximo" pelos colegas de seleção.

"O selecionador Fernando Santos pediu-nos para não comentarmos esse episódio. Isso é passado. O nosso foco é a seleção", contou o antigo jogador do FC Porto.

Sobre a ausência de Cristiano Ronaldo, que ainda vai disputar a final da Liga dos Campeões com o Real Madrid, Bruno Alves assumiu que a presença do capitão "aumenta a competitividade" nos treinos.

"Estou a torcer por ele na final. Com Cristiano, os treinos são ainda melhores. A sua presença, competitividade e exigência obriga que todos sejam ainda melhores", explicou.

Para Bruno Alves, no Mundial2018, o primeiro objetivo de Portugal é "passar a fase de grupos" e só depois os jogadores poderão ter outras ambições.

"No Campeonato do Mundo estão os melhores jogadores e as melhores seleções. Toda as equipas vão preparar-se muito bem e nós também. Marrocos é das melhores seleções africanas e o Irão uma das melhores da Ásia. São ser dois jogos muito táticos em que ninguém vai querer errar", considerou.

O central comentou ainda a alegada impetuosidade do companheiro de setor Rúben Dias: "Um defesa tem que ser sempre mais forte, agressivo. O Rúben é agressivo, sim, mas é honesto, quer sempre conquistar a bola e vencer. É importante o jogador ter essa alma, essa raça que é muito pedida nos jogadores. É um bom jogador que está num bom momento, chegou agora à Seleção A mas se o treinador assim o entender, poderá jogar. Estamos todos a treinar para conseguir oportunidades. Tem todas as qualidades que são pedidas a um defesa, é competente e, por isso, tem todo o mérito".

No Grupo B, Portugal vai ainda defrontar a Espanha, naquele que será o jogo de estreia, a 15 de junho, em Sochi. O duelo com Marrocos será a 20, em Moscovo, e com o Irão, de Carlos Queiroz, a 25, em Saransk.

Portugal, ainda com muitas baixas, incluindo Cristiano Ronaldo, volta hoje a treinar na Cidade do Futebol e no dia 28 de maio, defronta a Tunísia, em Braga, no primeiro particular que serve de teste para o próximo Campeonato do Mundo.

Em 9 de junho, após os particulares com a Bélgica (dia 2 em Bruxelas) e com a Argélia (dia 7 na Luz), a equipa lusa viaja para a Rússia.

O Mundial 2018 arranca no dia 14 de junho e termina a 15 de julho.

Exclusivos