Hélio Sousa: "Os nossos jogadores foram inexcedíveis"

Apesar da derrota na final contra a Alemanha, selecionador nacional salienta "crescimento enorme" da equipa e diz que a formação portuguesa mostra que "tem jogadores capazes de dar o passo seguinte"

Declarações de Hélio Sousa à RTP após a final do Europeu Sub-19 de futebol, entre Portugal e a Alemanha, disputada em Budapeste, na Hungria, que os germânicos venceram por 1-0:

"Tivemos as nossas oportunidades e devíamos ter sido mais eficazes para reentrarmos no jogo, depois de termos sofrido o golo.

Os nossos jogadores foram inexcedíveis. Temos um orgulho enorme nas suas capacidades, no espírito com que encarnaram a representação da nação e do nosso futebol. Temos futuros jogadores com qualidade, vontade e querer.

Esta é uma geração que há dois anos não esteve na fase final do Europeu, pelo que o nosso crescimento como equipa foi enorme.

Temos garantida a presença no próximo Mundial [na Nova Zelândia], para que os jogadores continuem a ser melhores e a procurar o seu espaço.

A nossa formação tem mostrado, todos os anos, que tem jogadores capazes para dar o passo seguinte. Têm que ser inseridos em contextos que potenciem potencialidades e serem opções válidas num futuro próximo. São uma geração que quer receber ensinamentos para ser mais forte no futuro".

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".