Fernando Santos: "Portugal não tem um sonho, tem um objetivo"

Selecionador nacional falou esta quinta-feira em conferência de imprensa realizada na Cidade do Futebol, antes da partida para a Suíça, onde a equipa das quinas vai defrontar Egito e Holanda

Sem fechar a porta a jogadores que não integram o estágio, Fernando Santos desvalorizou as ausências de Fábio Coentrão, Nani e Rúben Dias, explicando que estão no lote de "30 e muitos" jogadores que poderão vir a ser chamados para o Mundial 2018.

"As lesões são normais e frequentes no futebol, sobretudo nesta fase da época. Temos dois casos claros: Pepe e Danilo, que nem sequer foram chamados. Não me condicionam em nada, porque a seleção tem um lote alargado de jogadores que nos dão muitas garantias. Nem todos poderão estar no Mundial. Há jogadores que posso não ter chamado e que poderão estar no Mundial", afirmou o selecionador nacional, antes de analisar, um a um, os casos referidos.

"Nani está no patamar dos outros, no lote dos 30 e muitos. Mas entre 30 e muitos, só serão convocados 23. Ele disse que é um jogador influente e é verdade", comentou, acerca do experiente extremo da Lazio. Sobre o central do Benfica, disse que "obviamente que gostava de o ter visto num contexto de seleção", pois nunca esteve num estágio, mas que o jogador continuava entre as possíveis escolhas. Em relação ao lateral esquerdo cedido pelo Real Madrid ao Sporting, vincou que a exclusão da convocatória "foi muito bem explicada por parte do departamento de informação da Federação Portuguesa de Futebol". "Não havia lesão, mas a apresentação de queixas muito fortes", recordou.

Fernando Santos explicou ainda que, "com 24 ou 25 jogadores convocados, saindo o William, não fazia sentido fazer mais alguma alteração" e que "disse aos jogadores para desfrutarem do estágio e dos jogos". "Não vai servir para dissipar dúvidas. Não há aqui um teste decisivo para ninguém", salientou.

Sobre o Campeonato do Mundo, o selecionador que guiou a equipa das quinas à conquista do Euro 2016 admitiu que "Portugal nao tem um sonho, tem um objetivo claro". "Não se considera candidato, mas vai lutar pelo título. Vamos lutar pelo título no Mundial", considerou.

Questionado sobre as possíveis chamadas de dois centrais brasileiros com nacionalidade portuguesa, Jardel (Benfica) e Maicon (Galatasaray), disse que "não fazem parte do lote das escolhas, apesar de serem excelentes jogadores".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.