Eduardo: "Portugal preparado frente à Alemanha"

O guarda-redes da seleção garantiu que a seleção portuguesa está preparada para alterar o recente historial contra a Alemanha, na estreia no Mundial2014, alertando que Portugal também é uma equipa "temível".

"O que posso garantir é que no futebol todos os jogos são diferentes. Vamos querer mudar historial e estamos preparados para o fazer. Portugal também é uma equipa temível, pela qualidade que temos, que também preocupa os adversários. Estamos mais concentrados no que podemos fazer, que pode ser muito", disse.

Em conferência de imprensa no centro de treinos da Ponte Preta, em Campinas, a dois dias da partida com a Alemanha, marcada para segunda-feira em Salvador, Eduardo recordou que não há vencedores antes do início dos encontros, apesar de Portugal ter perdido os três últimos confrontos com os germânicos, o último dos quais na estreia no Euro 2012.

"As pessoas atribuem sempre o favoritismo através do passado, o historial não está a nosso favor, mas estamos a tempo de mudar. O jogo ainda está para vir e temos oportunidade de mudar esse historial. Estamos motivados e confiantes de que o podemos fazer", afirmou.

Eduardo garantiu que "a motivação é a melhor possível, o grupo está saudável, está com vontade de começar, determinação e vontade ao limite", assim como Cristiano Ronaldo, que o guarda-redes garantiu que está a cem por cento.

O selecionador da Alemanha referiu que Portugal é o campeão do Mundo do contra-ataque, tendo Eduardo rebatido ao frisar que essa é apenas uma das armas de Portugal, equipa na qual jogadores como Nani ou Cristiano Ronaldo podem fazer a diferença.

"Estamos preparados para tudo. É um erro está a precaver o que as outras equipas fazem. Estudamos os adversários, mas o futebol é imprevisível. A Alemanha, como grande equipa, pode tentar assumir o jogo, mas nós também vamos dizer que estamos presentes neste Mundial e estamos preparados", garantiu.

Apesar das grandes probabilidades de ser suplente no Mundial do Brasil, quatro anos depois de ter sido titular na África do Sul, Eduardo diz que "são situações diferentes, são fases da carreira", assegurando que vai apoiar o colega que for titular.

"No último Mundial tive o privilégio de jogar, neste pode não ser assim. Mas garanto o meu empenho e que a minha forma de estar não foi alterada. Vou dar tudo e deixo o resto para o selecionador", sustentou.

Eduardo lembrou que Rui Patrício "fez todo o trajeto até ao Mundial", mas que, tanto ele como Beto, estão a dar o melhor e "tentar estar o melhor possível para o dia" do jogo, deixando a decisão final para Paulo Bento.

"Aconteça o que acontecer, [o titular] terá o apoio de todos, como tem acontecido sempre. A seleção está bem guardada na baliza", sublinhou.

Sobre o horário do encontro com a Alemanha, marcado para as 13.00 locais (17.00 em Lisboa), pouco habitual na Europa, Eduardo diz que está "tudo preparado", lembrando que todas as equipas vão jogar a horas pouco comuns e afiançando que "é um fator a ter em conta, mas que não vai servir de desculpa".

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.