Eduardo. O rijo transmontano que conquistou o país em 2010

Guarda-redes do Dínamo Zagreb superou trauma de infância e dificuldades de afirmação, para brilhar no Mundial 2010. Nunca mais deixou a seleção

É um rijo transmontano, quase intransponível entre os postes, quase imbatível pelas agruras da vida fora deles. Para Eduardo, nada foi fácil. Mas desde 2010 que o guarda-redes se tornou um nome incontornável na seleção nacional.

O guardião, de 33 anos, natural de Mirandela, tardou em afirmar-se no futebol português: só aos 24 anos se estreou na I Liga, após largas épocas entre a equipa secundária e os bancos de suplentes do Sporting de Braga. No entanto, mal se estreou pegou de estaca, mostrando a frieza que marcaria a sua ascensão.

O talento não basta. Eu não sou um talentoso, não nasci com carradas de talento, mas sou um trabalhador. E trabalho sempre nos limites. Percebi cedo que se queria chegar até aqui não teria outro remédio. Sofre-se, mas também há muito prazer em ir conseguindo melhorar e crescer por força do trabalho.

Eduardo convenceu no palco de estreia, o Beira-Mar. Brilhou no Vitória de Setúbal (ajudando a equipa sadina a ganhar a primeira edição da Taça da Liga, decidida com as suas defesas no desempate através da marcação das grandes penalidades). E ganhou o direito a regressar a Braga, a sua casa desde a adolescência. Foi a rampa final para chegar à seleção nacional.

Quando vi o meu nome no lote dos selecionados, só tive um pensamento: 'vou agarrar isto com unhas e dentes.

Nos primeiros jogos pela "equipa das quinas", apadrinhados pelo então selecionador Carlos Queiroz, o nome do guardião foi sendo questionado. No entanto, as exibições no Mundial 2010 (em quatro encontros só sofreu um golo, o de David Villa, que valeu a eliminação nos oitavos-de-final) e a abnegação demonstrada (da garra a cantar o hino às lágrimas após a eliminação) convenceram os críticos.

Afinal, o transmontano já estava habituado a superar dificuldades - do trauma da morte precoce do pai, vítima de um acidente de viação quando Eduardo era criança, às saudades da mãe e irmãos, que acabariam por emigrar para o Luxemburgo, enquanto o guarda-redes se mudou para o Minho aos primeiros da adolescência (para jogar nas academia do Vitória de Guimarães e, depois, do Sporting de Braga).

Precisamos de evoluir muito no trabalho com os guarda-redes em Portugal. A nível não só de treino, mas de prospeção e, quem sabe, criar até departamentos de acompanhamento específicos. Sabemos que a posição de guarda-redes é a mais difícil quando se erra e, por vezes, criam-se ilusões grandes nos miúdos... que acabam por abandonar facilmente. Temos de dar mais condições a estes jovens.

Foi só após o brilharete do Mundial 2010 que Eduardo também seguiu os caminhos da emigração: teve passagens nem-sempre-bem-sucedidas por Itália (Génova) e Turquia (Istambul BB), entrecortadas por regressos a casa (Benfica e Braga). Desde 2014 voltou a brilhar e colecionar títulos no Dínamo Zagreb. Em Portugal, ficou a sua namorada desde a adolescência, outra estrela do desporto nacional: a maratonista Jéssica Augusto. Ambos são pais de uma menina, Leonor, nascida em junho de 2015.

BI

Eduardo dos Reis Carvalho

Data de nascimento: 19/09/1982 (33 anos)

Naturalidade: Mirandela

Altura: 1,88 m

Peso: 84 kg

Clube atual: Dínamo Zagreb (Croácia)

Clubes de formação: Mirandela, V. Guimarães e Sp. Braga

Trajeto: Sp. Braga, Beira-Mar, V. Setúbal, Génova, Benfica, Istambul BB, Dínamo Zagreb

Títulos: Taças da Liga (2007/08 e 2011/12), Taça Intertoto (2008), Liga da Croácia (2014/15 e 2015/16), Taça da Croácia

CARREIRA NA SELEÇÃO

Estreia: 11/02/2009, Portugal-Finlândia (1-0)

Internacionalizações: 35

Golos sofridos: 21

FASE DE QUALIFICAÇÃO

Jogos: 0

Minutos: 0

Golos sofridos: 0

NÚMEROS

8 - equipas representadas como sénior

7 - troféus conquistados ao longo da carreira

3 - presenças em fases finais (Mundial 2010, Euro 2012 e Mundial 2014)

4,5 Meuro - valor da transferência do Sp. Braga para o Génova

24 anos - idade com que se estreou na I Liga, ao serviço do Beira-Mar

Exclusivos