Inglaterra passou de 'tubarão' a adversário 'talismã' das fases finais

No primeiro jogo da seleção nacional com a Inglaterra, ocorrido em 1947, Portugal sofreu o pior resultado de sempre: 10-0

Portugal defronta esta quinta-feira a Inglaterra, no segundo teste para a fase final do Euro2016 de futebol, um adversário que foi em tempos dominador, mas que mais recentemente tem sido vítima de alguns resultados históricos da seleção nacional.

Em 22 embates, a formação das quinas até tem um balanço bastante desfavorável, com apenas três triunfos e 10 derrotas, mas desde 2000 que começou a ganhar o estatuto de carrasco dos ingleses em fase finais, sobretudo depois do Euro2004 e do Mundial2006.

Tudo começou no Europeu de 2000, em Eindhoven, quando Portugal venceu por 3-2, com golos de Luís Figo, João Pinto e Nuno Gomes, que viraram o marcador depois de Paul Scholes e Steve McManaman terem dado vantagem à Inglaterra. Os ingleses acabaram por ficar pela fase de grupos.

Quatro anos depois, num dos encontros mais emocionantes da história do futebol português, a seleção lusa ultrapassou a Inglaterra, no Estádio da Luz, na marcação de grandes penalidades (6-5), depois do empate registado no tempo regulamentar (1-1) e prolongamento (2-2), e seguiu para as meias-finais do Euro2004.

Nesse jogo, Portugal também esteve a perder, devido a um golo de Michael Owen, mas Hélder Postiga obrigou a tempo extra. Rui Costa deixou a formação lusa na frente, mas Lampard acabou por refazer a igualdade e forçar a 'lotaria'.

Nos penáltis, o guarda-redes Ricardo foi decisivo ao marcar um e, de seguida, ao defender sem luvas o remate Darius Vassell, numa das imagens que ficará para sempre na história dos Europeus.

O destino ditou e Portugal e Ricardo voltaram a ser o pesadelo da Inglaterra dois anos depois, desta vez na Alemanha, no Campeonato do Mundo, e outra vez na marcação de grandes penalidades, já que o nulo persistiu 120 minutos.

O guarda-redes da seleção nacional defendeu três penáltis, incluindo os apontados pelos especialistas Lampard e Gerrard, e Portugal seguiu para as meias-finais.

Antes desta fase, a Inglaterra era um adversário de má memória para os portugueses, embora no Mundial 1986, no México, a seleção nacional tivesse surpreendido, quando venceu por 1-0 no arranque da competição, com um golo de Carlos Manuel.

No historial, está também o famoso embate nas meias-finais do Mundial de 1966, em Londres, no Estádio de Wembley, com a Inglaterra a vencer por 2-1, com dois golos de Bobby Charlton. Eusébio marcou para Portugal e saiu do campo em lágrimas.

O primeiro duelo entre estas duas seleções aconteceu em 1947, num particular disputado em Lisboa e em que Portugal foi esmagado por 10-0, naquele que é até hoje o pior resultado da sua história.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG