Gonçalo Guedes: "Rui Vitória disse-me para não inventar"

Jovem benfiquista fala da concretização de um sonho ao ser chamado à seleção nacional

Gonçalo Guedes, chamado pela primeira vez à principal seleção portuguesa, assumiu esta terça-feira que a sua ascensão no futebol nacional está acontecer mais rápido do que esperado e mostrou ambição para o futuro.

"Sonhei com isto, mas nunca pensei que aparecesse tão rápido. Estou a aproveitar e espero não parar por aqui. Desde o início da temporada estou focado em dar o máximo no Benfica para estar presente na seleção", afirmou Gonçalo Guedes.

O jogador do Benfica, que está a dias de completar 19 anos de idade, falava em conferência de imprensa minutos antes do primeiro treino da seleção portuguesa, no Estádio Nacional, de preparação para os particulares com a Rússia e o Luxemburgo.

"Estou a viver esta experiência com naturalidade e felicidade. Quero aproveitar da melhor maneira, continuar a trabalhar e dar o máximo para estar no Europeu, mas claro que cabe ao selecionador decidir", referiu.

Titular esta temporada no Benfica, Gonçalo Guedes confessou que recebeu alguns conselhos do treinador dos 'encarnados', Rui Vitória, antes de se juntar aos seus novos colegas de seleção.

"Deu-me os parabéns e disse-me para fazer as coisas como eu sei, para não inventar e ser eu próprio", revelou o extremo, acrescentado que a formação do futebol luso tem "evoluído muito" e mais jogadores jovens vão começar a aparecer na seleção principal, como é o seu caso e também de Rúben Neves, do FC Porto.

Na mesma conferência de imprensa, José Fonte mostrou-se "extramente feliz e satisfeito" por continuar a ser chamado por Fernando Santos e assumiu o desejo que estar no Europeu do próximo ano, que se vai realizar em França.

"É um sonho para todos os jogadores estar presente numa fase final. O treinador já demonstrou que dará oportunidades a todos para mostrarem o seu valor", disse o central do Southampton.

Sobre a chegada de novos jogadores, como Gonçalo Guedes, o defesa de 31 anos garantiu que todos "são muito bem recebidos" e que são integrados no grupo "com muita facilidade".

"Temos um grande grupo de jogadores, como muita experiência e que sabem fazer que os jogadores mais jovens se integrem o mais rápido possível. Isso também acaba por melhor para nós", referiu.

Sobre os particulares com a Rússia e o Luxemburgo, Fonte garantiu que a seleção vai encarar os dois jogos "com naturalidade para ganhar", ainda mais numa altura em que muitos jogadores "vão estar em observação para poderem estar presentes" no Euro2016.

"O selecionador vai querer analisar as melhores opções. Vai ser também uma observação e nós jogadores temos de dar o máximo, porque queremos todos estar presentes no Europeu", frisou.

Portugal, que assegurou a presença no Europeu do próximo ano após ter vencido o Grupo I de qualificação, defronta a Rússia a 14 de novembro, em Krasnodar, e três dias depois desloca-se ao Luxemburgo.

Certa é a ausência do capitão Cristiano Ronaldo, que foi poupado por Fernando Santos para os dois últimos jogos da formação lusa este ano e que servem de preparação para a fase final do Europeu de 2016, que vai decorrer em França.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG