Evangelista diz que Bosingwa "tem que assumir as suas responsabilidades"

O presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) defendeu hoje que Bosingwa tem que "assumir as suas responsabilidades" no incidente com o selecionador Paulo Bento, mas assinalou que o jogador "tem a solidariedade" do organismo.

"Bosingwa tem a solidariedade do sindicato, tal como o selecionador tem o seu respeito. Mas, Bosingwa e Ricardo Carvalho têm que assumir as suas responsabilidades. É uma pena que estejam a viver este problema, independentemente da culpa que tiveram pelas declarações que proferiram", lamentou Joaquim Evangelista, à margem do I Congresso Internacional do Futebol Profissional (Football Talks), em Cascais.

O presidente do SJPF "desejava que isto não tivesse sucedido", em referência à troca de acusações entre Paulo Bento e Bosingwa, que criticou o selecionador pela sua ausência nas últimas convocatórias da seleção e motivou a resposta do técnico, segundo a qual prescindiu do defesa por aquele ter simulado uma lesão durante um estágio da seleção.

"É preciso criar plataformas de diálogo e não dividir. Gostava que estivéssemos a festejar o apuramento e não a discutir os casos do Bosingwa ou do Ricardo Carvalho", assinalou Evangelista, considerando que Paulo Bento tem legitimidade para deixar o jogador Chelsea fora dos eleitos para o Europeu de 2012: "Paulo Bento tomará as decisões que entender e ninguém vai confrontá-lo com elas".

O dirigente sindical entende que o selecionador português "saberá tomar as melhores decisões" e formulou o desejo de que "Ricardo Carvalho e Bosingwa façam parte das soluções para o futebol português".

Por seu lado, o antigo internacional João Vieira Pinto, que até há pouco tempo desempenhava as funções de vice-presidente do SJPF, defendeu que Bosingwa "faz falta a Portugal, como todos os bons jogadores", qualificando o incidente de "dispensável".

"Acho que as pessoas devem conversar antes de virem para a comunicação social expor os seus pontos de vista, embora agora talvez seja tarde para isso. Existem valores mais altos, como a estabilidade da seleção nacional e os interesses do futebol português", assinalou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG