Tsanko Arnaudov: "Não consegui fazer aquilo de que sou capaz"

Atleta português ficou-se pelos 18,88 metros, no 29º lugar longe do seu recorde pessoal e nacional, de 21,06 metros.

O português Tsanko Arnaudov afirmou que esta quinta-feira, simplesmente, não conseguiu fazer aquilo de que é capaz na qualificação do lançamento do peso dos Jogos Olímpicos Rio2016, falhando, por isso, a final.

"O que aconteceu? Não realizei aquilo de que sou capaz", frisou o lançador do Benfica, que se ficou pelos 18,88 metros, no 29.º lugar, longe dos 20,40 que qualificaram o jamaicano O'Dayne Richards e afastaram o romeno Andrei Gag.

Já este ano, em Amesterdão, Tsanko conquistou a medalha de bronze nos Europeus, ao lançar 20,59 metros, registo ainda assim abaixo do seu recorde pessoal e nacional, de 21,06, conseguido no ano passado.

Face a estes registos, o lançador natural de Gotse Delchev, na Bulgária, acredita que vale os 2,40 ou 2,41, que o colocariam entre os 12 finalistas.

"Se os 2,40 estão ao meu alcance? Sim, acho que estou a valer isso. Não consegui realizar nesta prova. Não sei, não consegui fazer aquilo de que sou capaz. Foi apenas isso. Acontece a toda gente e hoje [quinta-feira] foi a mim que me calhou".

O jovem Tsanko Arnaudov, de 24 anos, diz ter tido apenas um dia mau, daí ter selado a sua pior marca da temporada, e não tem qualquer desculpa para apresentar, nem o facto de a prova ter decorrido na sessão matinal.

"Em prefiro competir de manhã", frisou, contando o dia em que fez 21,06 metros: "Cheguei a Portugal no dia 17 de maio de 2015 de manhã e às 10:00 bati o recorde nacional. Eu prefiro competir e treinar de manhã. Não tem nada a ver".

Para Tsanko, ainda é difícil explicar o porquê de não ter conseguido mais: "Na minha cabeça, não consegui encontrar ainda justificação, o porquê".

Olhando em detalhe a sua participação, o lançador português admitiu que "condiciona sempre, qualquer atleta", abrir com um nulo: "Não é fácil entrar com um nulo, sabendo que só tens mais dois lançamentos".

O atleta do Benfica fez nulo porque não acertou na área de lançamento, sendo que teria marcado mais de 19 metros: "Não sei quanto é que era, mas, certamente, dava-me uma grande confiança para continuar".

No segundo ensaio, Tsanko logrou o único lançamento válido, mas apenas de 18,88 metros, e ficou a queixar-se da mão: "Cortei-me na mão, mas isso faz parte de um concurso de um lançador".

Ao terceiro, o português necessitava de um lançamento perto da sua melhor marca do ano, mas voltou a fazer nulo, atirando novamente para fora da 'caixa': "Porquê os dois lançamentos para fora? Uma falha técnica", admitiu, desolado, mas sem desculpas para ter falhado a final. Foi um dia mau.

Ler mais

Exclusivos