O último problema do Brasil: aldeia olímpica não tem Pokémon Go

Os atletas de alta competição reclamam porque o jogo não está disponível no Brasil

Depois das lamentáveis condições de limpeza e segurança da aldeia olímpica, dos assaltos, do Zika e dos protestos violentos, o Brasil voltou a dececionar os atletas que vão competir nos jogos do Rio 2016. Desta vez, a razão é a falta do Pokémon Go,,que ainda não chegou ao país.

Vários atletas reclamaram nas redes sociais por não poderem aceder ao jogo que tem conquistado milhões de adeptos em todo o mundo.

A mergulhadora norte-americana Abby Johnston escreveu no Twitter que esta é mesmo a pior coisa da aldeia olímpica. "Fora isso, é incrível", acrescentou.

O canoísta francês Matthieu Peche publicou uma imagem do jogo sem nenhum Pokémon à vista, mostrando o seu desagrado.

E o britânico Joe Clarke repetiu os lamentos também pelas redes sociais, assim como alguns turistas que estão no Rio para assistir aos Jogos Olímpicos.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, já tinha verificado o problema e chegou a enviar, há poucas semanas, uma mensagem à Nintendo - que criou o jogo - para que disponibilizasse o Pokémon Go no Brasil. "Faltam 23 dias para as Olimpíadas Rio 2016. O mundo todo tá vindo pra cá. Venha também!", escreveu no Facebook.

Enquanto muitos brasileiros ansiosos por aderirem à febre do Pokémon Go aplaudiram o comentário do prefeito, outros criticaram o pedido.

O comentário com mais gostos dizia: "Os Pokémon aquáticos morreram com as superbactérias. Os terrestres foram assaltados e baleados. Os elétricos explodiram nos esgotos. Os voadores viraram traficantes. Os venenosos ficaram obesos depois de se alimentar do esgoto e estão na reabilitação.
Tá fácil não."

Além do Brasil, o Pokémon Go também não está disponível no México, Rússia, China, Argentina, Tailândia, China, Emirados Árabes Unidos ou nos países africanos. A Portugal, o jogo chegou em meados de julho.

Ler mais

Exclusivos