Constantino remete "surpreendente" abandono de Sara Moreira para a federação

A atleta afirmou estar apta para a prova, mas acabou por desistir após os primeiros 10 quilómetros.

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) disse esta segunda-feira que a Federação Portuguesa de Atletismo é a entidade habilitada a falar sobre a "surpreendente" desistência de Sara Moreira na maratona dos Jogos Rio2016.

"A responsabilidade institucional da missão é do Comité Olímpico, mas a responsabilidade desportiva é das diferentes federações. Se a federação desportiva indicou que atleta estava em condições de competir, é a entidade mais bem colocada para responder à questão. De facto, não deixa de ser surpreendente. Ao fim de poucos quilómetros, a atleta vê-se obrigada a desistir, o que faz supor que já era portadora de alguma insuficiência física", disse à agência Lusa José Manuel Constantino.

Dias antes da maratona feminina, Sara Moreira reconheceu que "uma pequena inflamação na zona do osso [fémur]" da perna direita a tinha impedido de treinar normalmente durante uma semana, antes de partir para o Rio de Janeiro, mas que, depois de chegar, vinha treinando sem limitações e continuava a ambicionar um lugar no 'top 8'.

"Ao COP foi fornecido um relatório médico da parte da federação. O relatório não indicava qualquer limitação à participação da atleta. Após o momento da chegada da atleta à Aldeia Olímpica e, face às notícias que circulavam em Portugal, foram feitos novos exames que também não indiciavam nenhuma situação limitativa", afirmou o presidente do COP.

Durante a prova, a campeã europeia de meia-maratona acabou por se ressentir e desistiu pouco depois de estarem cumpridos seis quilómetros. Posteriormente, o COP anunciou que uma ressonância magnética entretanto efetuada mostrou que Sara Moreira padecia de uma fratura de stress na zona afetada.

"A atleta (...) revelou não apenas disponibilidade, interesse e vontade em participar, como até estimou que essa participação pudesse ter um determinado nível competitivo. Portanto, cabe ouvir a palavra da federação, saber se havia mais algum elemento -- da parte do Comité é desconhecido - que pudesse indiciar a sua não participação", concluiu.

Sara Moreira, de 30 anos, cumpriu no Rio de Janeiro a sua terceira participação olímpica, depois de ter sido 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim2008 e 14.ª nos 10.000 metros em Londres2012.

Exclusivos