Francesa recorre ao Tribunal Arbitral do Desporto para recuperar prata

Autélie Muller foi desclassificada por alegadamente ter impedido que adversária tocasse na placa de chegada.

A nadadora francesa Aurélie Muller, desqualificada na competição de águas abertas dos Jogos Olímpicos Rio2016, revelou que vai recorrer da decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

"Honestamente, não acredito muito, não quero criar expetativas falsas", admitiu a nadadora ao jornal diário L'Équipe, após ter sido desqualificada no domingo do segundo lugar, depois de os juízes entenderem que bloqueou a italiana Rachele Bruni, que era terceira.

A vitória na 'maratona' de dez quilómetros pertenceu à holandesa Sharon van Rouwendaal, com 1:56.32 horas. Muller chegou em segundo lugar e a italiana Bruni em terceiro, na competição disputada na praia de Copacabana.

Com as nadadoras já fora da água, os árbitros aceitaram a reclamação da italiana e anunciaram a desqualificação da francesa, que se terá atravessado no caminho da transalpina, impedindo que esta tocasse na placa de chegada.

"Foi a decisão de uma pessoa apenas, metade dos juízes não estavam de acordo. Porquê? Porque é que não viram os vídeos? Para nós, atletas, tudo estava normal. O que aconteceu na chegada acontece durante duas horas, faz parte da competição de águas abertas", disse a nadadora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG