Rússia disposta a enviar para Jogos Olímpicos apenas atletas e treinadores

Moscovo propõe não enviar a habitual comitiva formal que acompanha e representa os atletas, após a presença do ministro do Desporto da Rússia ter sido vetada

O ministro dos Desportos russo, Vitali Mutkó, assegurou hoje que Moscovo está disposta a enviar aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro apenas os atletas e treinadores.

"Caso seja necessário, estamos dispostos a enviar apenas os atletas e os seus treinadores [aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto]", disse o governante, em declarações à agência noticiosa russa Interfax.

Vitali Mutkó manifestou confiança em que o Comité Olímpico Internacional (COI) e a Associação de Federações Olímpicas de Verão "tomem uma medida razoável" sobre a participação da equipa russa nos Jogos.

De acordo com um relatório independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA) divulgado na segunda-feira, o Governo russo dirigiu um programa de dopagem no desporto com apoio estatal, com participação ativa do ministro dos Desportos e dos serviços secretos.

O relatório do professor canadiano Richard McLaren refere que o programa "à prova de falhas" foi colocado em prática pelos responsáveis russos, inclusivamente durante os Jogos Olímpicos de Inverno Sochi2014.

De acordo com o documento, o ministro dos desportos da Rússia, Vitaly Mutko, teve "participação ativa" neste sistema, que teve a assistência dos serviços secretos nos laboratórios antidopagem de Moscovo e Sochi.

"O laboratório de Moscovo operou para a proteção de atletas russos dopados, dentro de um sistema 'à prova de falhas' conduzido pelo estado", especifica o relatório de Richard McLaren.

Hoje, o ministro dos Desportos russo afirmou que caso o relatório contenha "dados comprovados sobre a violação das regras antidopagem por parte de algum atleta ou funcionário", nesse caso, "o responsável deve ser sancionado".

O COI vetou hoje a presença do ministro do Desporto da Rússia nos Jogos Olímpicos Rio2016, no âmbito do relatório McLaren.

"Não será atribuída acreditação a qualquer responsável do Ministério do Desporto russo ou a qualquer pessoa citada no relatório McLaren", refere hoje o COI.

A comissão executiva do COI, que hoje reuniu por audioconferência para analisar o relatório da AMA, adiou também hoje para o próximo fim de semana uma decisão sobre a possibilidade de excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

"Sobre a participação dos atletas russos nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o COI analisará minuciosamente o relatório e as opções legais relacionadas com a exclusão coletiva dos atletas russos e o direito a uma justiça individual", anunciou o COI em comunicado.

Com este adiamento, o COI aguarda pela resolução do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) sobre os recursos interpostos por atletas russos contra a proibição da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) de participarem nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

A IAAF proibiu a participação de atletas russos nos Jogos Olímpicos Rio 2016, na sequência de um esquema de doping sistemático e institucionalizado e do incumprimento de várias normas do código antidoping.

Entretanto, mais de 60 atletas russos recorreram ao TAS da decisão da IAAF de os impedir de participar nos Jogos Olímpicos Rio 2016, que decorrem entre 5 e 21 de agosto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG