Infantino assume que terrorismo é uma preocupação

Presidente da FIFA avisa que o Mundial não pode servir para "resolver os problemas planetários"

O novo presidente da FIFA, Gianni Infantino, assumiu hoje que o terrorismo é uma fonte de preocupação para a entidade que tutela o futebol mundial.

"Obviamente, o terrorismo é uma preocupação", reconheceu o suíço depois de visitar o Museu de futebol do estádio Centenário, em Montevideu (Uruguai), durante a sua digressão pela América do Sul.

No entanto, Infantino argumentou que a FIFA quer organizar jogos de futebol "sem falar de política, violência, religião", dando "um pouco de vida às pessoas".

"Não temos a ambição de resolver os problemas planetários, mas de organizar festas em torno do futebol", prosseguiu o presidente da FIFA.

Gianni Infantino, eleito a 26 de fevereiro, está a realizar um périplo pela América do Sul, devendo assistir ao encontro entre Uruguai e Peru, de qualificação para o Mundial de 2018.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.