"Praga de ostras" ameaça as provas de remo e canoagem nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Problema já custou mais de 1 milhão de euros em reparações de emergência. É aqui que o português Fernando Pimenta vai disputar a prova de K1 1000 metros.

Uma "praga de ostras" ameaça os eventos de canoagem e remo na "Sea Forest Waterway", na baía de Tóquio, durante os Jogos Olímpicos deste ano, avança a BBC.

A "Sea Forest Waterway" é o único percurso destinado às provas de remo e canoagem e foi construído na baía de Tóquio pelo Governo de Japonês exclusivamente para os Jogos Olímpicos de 2020. Este é o mesmo local onde o atleta português, Fernando Pimenta, vai representar Portugal nas provas de canoagem.

Segundo a fonte, inúmeras ostras ficaram presas nas superfícies dos flutuadores cilíndricos, colocados na baía para suprimir as ondas durante as provas olímpicas. Este problema compromete a realização dos eventos uma vez que à medida que as ostras se multiplicam, os flutuadores afundam-se e não funcionam eficientemente.

A invasão de ostras já custou mais de 1 milhão de euros em reparações de emergência visto que o equipamento, colocado numa extensão de 5,6 quilómetros, teve de ser limpo e reparado no local por equipas de mergulhadores. No total, já foram retiradas 14 toneladas de ostras.

As ostras que se encontram na baía de Tóquio são da espécie "magaki", muito comum no oceano pacífico e podem render milhares de euros, segundo oficiais japoneses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG