Portugal bate Hungria e reedita final do Europeu de futsal feminino

Portugal, segundo do 'ranking' europeu, vai defrontar a Espanha, líder, na final, aprazada para domingo, às 18:00.

Portugal garantiu esta sexta-feira a reedição da primeira final de sempre do campeonato da Europa de futsal feminino diante da Espanha, ao derrotar com conforto a Hungria, por 6-0, na conclusão das 'meias' da segunda edição da prova.

No Pavilhão Multiusos de Gondomar, onde tinha perdido o cetro para a 'roja' em 2019, a equipa das 'quinas' já vencia ao intervalo por 3-0 e contou com tentos de Pisko, Carolina Pedreira, Fifó, Cátia Morgado e Maria Pereira, além de um autogolo de Zsuzsanna Folk.

Portugal, segundo do 'ranking' europeu, vai defrontar a Espanha, líder, na final, aprazada para domingo, às 18:00, três horas e meia depois de a estreante Hungria, sexta da tabela da UEFA, e a Ucrânia medirem forças no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares.

Com cinco vice-campeãs continentais nas opções iniciais, as pupilas de Luís Conceição instalaram-se desde cedo em zonas atacantes e exerceram alta pressão na procura do golo inaugural, mas foram esbarrando numa exibição inspirada da 'guardiã' Lilla Torma.

A resistência magiar duraria 13 minutos, quando, depois de terem feito duas rotações e voltado ao 'cinco' titular, as anfitriãs viram a sua paciência na construção com bola ser premiada por intermédio de Pisko, na recarga a um primeiro 'disparo' de Carla Vanessa.

Desfeito o 'nulo', o conjunto de Tamás Frank agudizou a falta de recursos para passar a linha do meio-campo e sofreu mais dois golpes intermediados por apenas 28 segundos, graças a um canto de Cátia Morgado concluído de primeira por Carolina Pedreira, aos 17 minutos, e uma reposição lateral de Ana Pires para um pontapé rasteiro de Fifó, aos 18.

A avalanche de Portugal, visível no somatório global de remates (85 contra 10), arrastou-se ao longo de uma etapa complementar também de sentido único, na qual a guarda-redes Ana Catarina deu lugar a Maria Odete Rocha, que poucas vezes teve de intervir.

Zsuzsanna Folk introduziu a bola na sua própria baliza quando tentava desarmar Carla Vanessa, aos 23 minutos, e Cátia Morgado atirou de longe para o 5-0, aos 35, resultado lisonjeiro para a Hungria, substituta da Rússia na fase final devido à guerra na Ucrânia.

Annamária Hargas ainda foi a tempo de render Lilla Torma na baliza magiar e vacilar aos pés de Maria Pereira, a passe de Carolina Pedreira, aos 37 minutos, consumando o acesso de Portugal à final ibérica, horas depois de a Espanha cilindrar a Ucrânia (9-0).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG