Pizzi avisa que o Chile é "uma excelente" seleção

O médio português admite que a seleção nacional está identificada com o adversário das meias-finais da Taça das Confederações

Respeito, muito respeito. Foi essa a tónica do discurso de Pizzi, médio da seleção nacional, que falou esta segunda-feira sobre o Chile, adversário de Portugal nas meias-finais da Taça das Confederações, marcadas para a Arena Kazan na próxima quarta-feira.

"Vamos defrontar uma das seleções favoritas, juntamente com a Alemanha. Sabemos das dificuldades que o Chile nos vai colocar, mas vamos preparar-nos bem para esse jogo para podermos alcançar a final", começou por dizer, lembrando depois que os chilenos "ganharam as últimas duas edições da Copa América, e estão a fazer uma boa Taça das Confederações"

Apesar do grau de dificuldade da partida com o Chile, Pizzi o propósito da equipa das quinas "fazer um bom jogo para conseguir estar na final". O médio admitiu que viu "um pouco" do jogo Chile-Austrália e constatou aquilo que já sabia: "É uma seleção com excelentes jogadores, que alinham em grandes clubes europeus e, como tal, temos de estar preparados para conseguirmos dar continuidade à excelente Taça das Confederações que estamos a fazer."

Neste jogo, dá-se a curiosidade de Pizzi ir defrontar uma seleção que tem como selecionador Juan Antonio Pizzi, graças a quem ganhou uma nova identidade."A minha alcunha vem dele porque quando ele jogava no Barcelona e estava em grande forma, eu jogava no bairro fazia alguns golos", explicou, revelando o que pensa fazer no final da partida: "Vou dar-lhe um abraço, mas espero que no fim o português possa ter mais razões para sorrir."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG