Piqué vai abandonar a seleção após críticas a gesto que não cometeu

O central do Barcelona foi acusado de cortar as cores da bandeira de Espanha da sua camisola, uma mentira que rapidamente se tornou viral. Depois do Mundial, deixa a seleção

Gerard Piqué anunciou que vai deixar a seleção de Espanha depois do Mundial 2018. "O Mundial da Rússia vai ser a minha última competição com a Espanha. Não é pelo que aconteceu hoje, é por muitas outras coisas. Está pensado há algum tempo, não é uma decisão a quente, ponderei muito e decidi assim", reagiu, neste domingo, o central do Barcelona, revelando que o que aconteceu hoje foi "a última gota".

A vitória da seleção espanhola na Albânia, por 2-0, ficou marcada por um gesto de Gerard Piqué que foi prontamente associado pela imprensa espanhola e vários órgãos de comunicação social aos movimentos de apoio à independência da Catalunha.

O central catalão apareceu em campo com uma camisola cortada nas mangas, o que excluía as cores da bandeira de Espanha. As críticas multiplicaram-se num espaço de curtos minutos, mas sem razão para tal.

Acontece que a camisola de Piqué que estava cortada era uma camisola de manga comprida, que não inclui as cores da bandeira de Espanha na extensão dos braços. O jornal Marca publicou mesmo uma foto que mostra as mangas que foram cortadas da camisola de Piqué, que são totalmente brancas.

De resto, Sergio Ramos jogou com uma camisola similar, sem as cores da bandeira de Espanha.

"Cortei a camisola porque as mangas estavam muito curtas e era algo que me incomodava", explicou Piqué.

Exclusivos